Memória

Cereser troca de nome e tenta sofisticar a marca

Tradicional fabricante do espumante de maçã Sidra vai produzir um fermentado premium

Por: Mauricio Xavier [Colaborou Catharina Nakashima]

Cereser
João Cereser (no destaque) com colaboradores em um vinhedo nos anos 50 (Foto: Arquivo Pessoal)

A mais popular fabricante de espumantes brasileiros surgiu por acaso, depois de um incidente. Em1926, a plantação de quarenta pés de uva de uma família italiana em Jundiaí, a 60 quilômetros da capital, encalhou. A colheita era vendida a fábricas paulistanas de vinhos, que na ocasião não tinham dinheiro para pagar o lote. Com a carga parada em carroças, os produtores, liderados por João Cereser, decidiram fazer a própria bebida, iniciativa que acabou dando origem tempos depois à marca que levou seu sobrenome.

 

Cereser
Envase manual do vinho na década de 40 (Foto: Arquivo Pessoal)

Atualmente, ela é responsável por noventa rótulos. O mais conhecido é o de maçã Sidra (6 reais). Depois de 88 anos, a empresa resolveu mudar o nome para CRS Brands. Isso faz parte de uma tentativa de sofisticar sua linha. Uma das novidades previstas é o lançamento, no segundo semestre, de um fermentado premium. As frutas não saem mais da pequena lavoura do grupo, mas de suas instalações espalhadas pelo interior do estado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO