Cidade

Caixa perambula pela cidade em busca de conselho

Avenida Paulista, Liberdade, Ipiranga, Rua Oscar Freire... em um desses pontos você pode encontrá-la desafiando a criativdade de quem passa

Por: André Spera - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Ela tem circulado por pontos movimentados da cidade. Não chama atenção pela forma e não tem cores vibrantes, contudo, carrega uma mensagem intrigante. Ela pede um conselho.

A ideia foi do designer Daniel Motta, 29, que notou recados interessantes no livro de visitas de um trabalho que passou pelas estações do metrô de São Paulo, uma exposição baseada em seu livro Poptogramas, de 2005 e novamente em 2009. Havia coisas de todo tipo como dizeres hare krishna, desenhos, declarações de amor, elogios aos seus desenhos e, nas palavras do próprio Daniel “gente que dizia que trabalhos como o meu evidenciavam o quanto a arte no Brasil estava em declínio”.

Acesse a galeria de fotos da caixinha "Me Dê Um Conselho"

O plano era pensar em algo que pudesse dialogar novamente com as pessoas e observar como elas passavam suas mensagens.

A caixinha itinerante é levada pelo próprio Motta a pontos estratégicos da cidade, como a Avenida Paulista, Ipiranga, o Parque da Pinacoteca e na estação de metrô Liberdade. Em cada lugar, uma reação diferente do público que transita mede a receptividade da audiência: “No centro ninguém parava, há tantos vendedores ambulantes, ruído visual, que fica mais difícil notar a caixinha. Percebi que na Avenida Paulista ela funcionou melhor, inclusive o número de conselhos foi bem maior, talvez também porque o caminhante habitual da Paulista esteja mais suscetível a esse tipo de intervenção”, lembra o designer que obteve bilhetinhos com mensagens tão diversas e divertidas quanto "Você tem que virar protagonista", "Cuidado para nunca embolotar" e "Mantenha-se em silêncio e em clausura dos 12 aos 17 anos".

Não há grandes explicações por trás do pedido do conselho – o dono da caixa, apesar de não explicar nada aos transeuntes, fica sempre à espreita, fotografando, registrando a reação das pessoas. A proposta é simples, mas você já parou pra pensar em qual conselho daria? Muita gente vem perguntar ao designer o porquê daquela caixa, quando ele chega para levá-la embora.

Mais fotos de pessoas escrevendo os bilhetes e de alguns deles estão disponíveis em www.medeumconselho.com.br, mas ele não pensa em colocar uma “caixa virtual” na Internet. “A caixa vai continuar circulando em 2010, minha intenção é fazer disso um livro com os bilhetes”. Por enquanto, Daniel também pensa em deixá-la em galerias ou espaços culturais durante a semana. Certa vez, um morador de rua tentou levar a caixinha – que é pesada – embora. Além de ficar mais tempo exposta, ela teria um lugar seguro para pedir a valiosa ajuda.

Fonte: VEJA SÃO PAULO