Vídeo

Acompanhe uma aula básica de Treinamento Funcional

Conheça a atividade física que tem ganhado cada vez mais adeptos nas academias e studios de personal

Por: Adriano Conter e Carolina Romanini - Atualizado em

É errado dizer que o treinamento funcional é novidade, até porque, se olharmos bem para ele, vemos que se assemelha em muito a uma aula de educação física dos tempos de escola.

+ MAIS VÍDEOS

O grande barato é que essa modalidade tem ganhado cada vez mais espaço nas academias e studios de personal da cidade. Só no ano passado, a procura por esse tipo de atividade cresceu 30% em todas as unidades da rede Body Tech. Na Cia Athletica, 85% dos alunos frequentes fazem ao menos uma aula de treinamento funcional na semana.

+ Gabriela Pugliesi mostra exercícios que fazem parte de seus treinos

São vários os motivos que levam as pessoas ao treinamento funcional: o fato de que os exercícios trabalham os músculos do corpo como um todo (não isoladamente, como faz a musculação) resulta em avanços mais rápidos como o corpo definido e alongado, ao invés de hipertrofiado, como faz a musculação - qualidade essa que as mulheres, em especial, gostam bastante.

Também existe o fato de que uma aula funcional, que dura aproximadamente 45 minutos, trabalha de uma única vez atributos como força, equilíbrio, agilidade e capacidade cardiorrespiratória, entre outras coisas, fazendo com que você não precise passar horas na academia para trabalhar tudo isso. Para quem leva a vida agitada da cidade, esse é um diferencial e tanto.

Há quem aposte que o treinamento funcional seja o primeiro passo para o fim da academia como conhecemos hoje: cheia de aparelhos e pouco espaço para os alunos se movimentarem naturalmente. A Body Tech já dá indícios de que talvez essa profecia venha mesmo se concretizar: entre 20% e 25% das unidades da rede passam hoje por reformas para ampliar o seu espaço físico e abrir lugar para novas salas de treino funcional.

Treino funcional
Treino funcional: exercícios trabalham os músculos do corpo como um todo (Foto: Adriano Conter)

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO