Livro sobre Mussum traz episódios da vida do artista na capital

<em>Mussum Forévis — Samba, Mé e Trapalhões</em> será lançado no próximo dia 23

Embora tenha nascido no Rio de Janeiro e passado boa parte da vida por lá, Antonio Carlos Bernardes, o Mussum, possuía raízes paulistanas. Ele morou, casou-se e morreu na capital, em decorrência de problemas no coração — foi enterrado em 1994 no cemitério Congonhas. Vários momentos de suas andanças pela metrópole, como o início da carreira, na Rádio Record, em 1963, estão no recém-lançado livro Mussum Forévis — Samba, Mé e Trapalhões (Editora LeYa, 432 páginas, 49,90 reais), do jornalista Juliano Barreto.

 

Além do humor, o artista fez fama na música. Ganhou discos de ouro com Os Originais do Samba, produziu três álbuns-solo, foi diretor de harmonia da Mangueira e assinou a trilha sonora de filmes dos Trapalhões. Ainda hoje, seus bordões no programa, como “cacildis”, estampam camisetas e inspiram até marca de cerveja, como a Biritis, criada por um de seus flhos, Sandro Gomes.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s