Juíza manda Cláudio Maksoud deixar hotel fundado pelo pai

Henry Maksoud Neto, sobrinho de Cláudio e o atual gestor do negócio, cobra 4 milhões do tio por estadias

As brigas judiciais dos herdeiros do Maksoud Plaza ganharam um novo capítulo. No último dia 6, Paula da Rocha e Silva Formoso, juíza da 16ª Vara Cível, determinou que Cláudio Maksoud desocupe até 6 de agosto as suítes 1319 e 1321 do hotel da família, na Bela Vista. Há mais de vinte anos ele mora no local, idealizado pelo pai, Henry Maksoud, morto em 2014. O pedido de reintegração de posse partiu de Henry Maksoud Neto, sobrinho de Cláudio e o atual gestor do negócio.

Ele cobra cerca de 4 milhões de reais pela estada do tio e da esposa dele, Maria Eduarda Maksoud. À conta, além das diárias a partir de 2014, que chegam à casa dos 3 milhões de reais, somam-se 80 000 reais referentes a serviços de lavanderia, 59 000 de ligações telefônicas, 1 050 reais de massagens e 600 reais pelo uso do heliponto. “Vou recorrer da decisão, e o despejo não deverá ocorrer”, diz Adalberto Costa, advogado de Cláudio.

Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s