Ídolos

Palhinha chegou ao time com desfile em carro aberto e sirene

Maior craque do time, ele veio do Cruzeiro por uma quantia recorde para a época: 7 milhões de cruzeiros

Por: Celso Unzelte - Atualizado em

Palhinha - Corinthians_2163a
Palhinha, à direita (Foto: José Pinto)

Durante os mais de 22 anos em que esperou por um título importante, o Corinthians apostou na contratação de vários craques que chegavam com fama de salvador da pátria. Como Almir Albuquerque, em 1960, Garrincha, em 1966, e Paulo Borges, em 1968. Desses, somente um se sagrou campeão: Palhinha, em 1977.

Maior craque do time que naquele ano finalmente conquistaria o título paulista, ele veio do Cruzeiro por uma quantia recorde para a época: 7 milhões de cruzeiros. Sua chegada a São Paulo teve desfile em carro aberto, batedores e sirene. Inteligente, ágil, habilidoso e catimbeiro, Palhinha logo caiu nas graças da Fiel. No primeiro jogo das finais contra a Ponte Preta, marcou o gol da vitória por 1 a 0. Uma bola rebatida pelo goleiro Carlos pegou em cheio no seu rosto e entrou. No segundo jogo, ele sofreu um estiramento ainda durante o primeiro tempo e, por isso, não pôde estar em campo na partida decisiva.

Nome: Vanderley Eustáquio de Oliveira

Nascimento: Belo Horizonte (MG), 11/6/1950

Posição: ponta de lança

Período: 1977 a 1980

Jogos: 148 (79 vitórias, 42 empates, 27 derrotas)

Gols: 44

Títulos pelo Corinthians: dois Paulistas (1977 e 1979)

Fonte: VEJA SÃO PAULO