Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Mulher de 27 anos morre de Covid-19 duas semanas após parto prematuro

Andressa Grassi foi intubada minutos depois do parto emergencial de seu filho

Por Redação VEJA São Paulo 28 abr 2021, 19h13

A arquiteta Andressa Grassi, 27, morreu na última terça-feira (27) por complicações causada pela Covid-19, em Araçatuba, interior de São Paulo, após dar a luz ao seu único filho.

Segundo a família da jovem, ela começou a sentir os primeiros sinais da doença no início de abril e, por apresentar sintomas leves, realizou o tratamento em casa. No entanto, o quadro de Andressa se agravou e ela teve que ser internada no hospital no dia 13 de abril.

A moça estava com 27 semanas de gravidez e precisou ser intubada. A equipe médica optou por realizar um parto de emergência, mesmo ainda restando mais de dois meses para completar as 36 semanas de gestação.

De acordo com uma funcionária da Santa Casa de Araçatuba em entrevista ao UOL, o parto foi um sucesso e Andressa intubada minutos depois. O bebê foi internado na UTI Neonatal e Pediátrica da unidade, mas está estável. O nome escolhido por ela e pelo pai da criança, Anderson da Silva, foi Thomas.

Andressa continuou intubada por duas semanas, mas seu quadro se agravou e ela não resistiu à doença.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade