Clique e assine por apenas 6,90/mês

Doria diz que vacina chinesa teve boa resposta imunológica em idosos

"Estamos muito otimistas com os resultados da fase três de testes da Coronavac no Brasil", disse o governador

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 9 set 2020, 09h29 - Publicado em 9 set 2020, 09h25

João Doria (PSDB) afirmou na terça-feira (8) que a resposta imunológica de idosos que receberam a vacina CoronaVac, contra a Covid-19, ficou entre 98% e 99%. A vacina é desenvolvida por um laboratório chinês em parceria com o Instituto Butantan.

“Estudos preliminares da Sinovac mostraram que a vacina é segura para idosos. Foram testados 24 mil voluntários chineses, sendo 421 com mais de 60 anos. O grupo teve uma resposta imune média entre 98% e 99%. A taxa de eficácia da Coronavac é maior do que de vacinas amplamente utilizadas contra outras doenças, como por exemplo a vacina contra gripe comum, que tem uma taxa de 50% a 60% de eficácia. Estamos muito otimistas com os resultados da fase três de testes da Coronavac no Brasil”, disse Doria em rede social.

Estudo publicado na segunda (7) pela Sinovac Biotech, laboratório que desenvolve o imunizante com o Butantan, mostra que a vacina é segura para idosos, mas a resposta imunológica para o grupo foi um pouco mais fraca do que em adultos jovens. 

À Reuters, Liu Peicheng, representante da empresa, disse que a vacina não causou efeitos colaterais graves em testes da Fase 1 e 2. Participaram 421 pessoas com 60 anos ou mais. Os resultados são preliminares e foram obtidos após testes de nível inicial a intermediário.

Vacina de Oxford 

Os testes para a vacina contra a Covid-19 da Universidade de Oxford e da farmacêutica AstraZeneca foram suspensos temporariamente no Reino Unido nesta terça-feira (8). A decisão foi tomada após um paciente apresentar um efeito adverso depois de receber o imunizante.

“Nosso processo padronizado de revisão foi acionado e nós pausamos voluntariamente a vacinação para que nossos dados de segurança sejam revisados por um comitê independente”, informou a farmacêutica em nota para a imprensa.

Continua após a publicidade
Publicidade