Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Butantan retoma produção da CoronaVac após chegada de insumos

O governador João Doria voltou a afirmar que todos os moradores do estado de São Paulo serão vacinados até o final do ano

Por Redação VEJA São Paulo 27 Maio 2021, 13h12

O Instituto Butantan retomou na madrugada desta quinta-feira (27) a produção da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida em parceria com a Sinovac. A confecção de doses estava paralisada desde o dia 14 de maio por falta de insumos vindos da China.

O envase foi retomado após a chegada de 3 mil litros de IFA a São Paulo na última terça-feira (25). De acordo com o Butantan, serão produzidas mais cinco milhões de doses do imunizante, que serão entregues ao Ministério da Saúde para distribuição aos estados.

A última remessa da vacina entregue ao governo federal aconteceu em no dia 14 de maio, quando foram liberadas 1,1 milhão de doses. Com isso, o Butantan chegou à marca de 47,2 milhões de doses disponibilizadas ao Ministério da Saúde ao Brasil desde o início deste ano.

Desde então, o instituto aguardava autorização do governo chinês para a liberação de mais matéria-prima necessária para a produção da vacina. Questões referentes à relação diplomática Brasil x China podem ter interferido diretamente no cronograma de liberação de novos lotes de insumos.

Apesar do atraso na produção por conta da falta de insumos, o governador João Doria (PSDB) voltou a afirmar em coletiva de imprensa na última quarta (26) que todos os moradores de São Paulo serão vacinados até o final deste ano.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade