Clique e assine por apenas 5,90/mês

Brasileiros podem estar vacinados até fim de fevereiro, diz Doria

Segundo governador, a produção da CoronaVac deve começar a partir de novembro

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 5 ago 2020, 12h28 - Publicado em 5 ago 2020, 12h26

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, se mostrou mais uma vez otimista com a CoronaVac, vacina de origem chinesa que está sendo testada no Brasil. Na terça-feira (4), ele afirmou que a produção deve começar a partir de novembro e que em fevereiro toda a população pode estar vacinada. 

“A vacina é salvadora, ela vai trazer a normalidade de fato na vida dos brasileiros. Tudo indica que já estaremos com uma imunização plena, da totalidade da população brasileira, até o fim de fevereiro. Olhando sempre com olhar otimista, realista”, disse em entrevista à Rádio Bandeirantes.

O governador ressaltou que pode haver um ou dois meses de atraso caso aconteça alguma intercorrência com o desenvolvimento da imunização. Ele já havia falado sobre a expectativa de lançar a vacina nos primeiros meses de 2021. 

“Toda vacina, contra o coronavírus ou qualquer outra, quando chega na terceira fase já chega em condições de viabilidade técnica e científica de aprovação. Se não, nem passaria da segunda fase”, disse.

Voluntários do Hospital da Clínicas, Instituto Emílio Ribas, Hospital das Clínicas da Faculdade de Ribeirão Preto da USP, Universidade Municipal de São Caetano do Sul e Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) já participam dos testes.

 

Continua após a publicidade
Publicidade