Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Anvisa aprova uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses da CoronaVac

O segundo lote liberado pelo órgão é de imunizante envasado pelo Instituto Butantan

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 22 jan 2021, 17h04 - Publicado em 22 jan 2021, 17h03

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, aprovou o uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses da vacina CoronaVac. A aprovação da diretoria colegiada do órgão ocorreu por unanimidade.

O novo lote é de vacinas envasadas pelo Instituto Butantan. As 6 milhões de doses aprovadas no último domingo (18) em reunião extraordinária eram de imunizantes prontos importados da China.

Gustavo Mendes, gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos, ao recomendar a vacina deixou claro que não há “alternativas terapêuticas” para o tratamento da Covid-19. “Tendo em vista o cenário da pandemia, o aumento do número de casos, ausência de alternativas terapêuticas, específicas para a Covid, recomendamos a aprovação dessa vacina nessas condições, mas com monitoramento das incertezas”. 

Em relação ao primeiro lote aprovado, as vacinas envasadas pelo Butantan possuem um modelo diferente de frasco, o de multidose, contendo dez doses do imunizante dentro. Os frascos importados da China eram monodose, ou seja, possuíam dose única. Por isso, Mendes afirma que será necessário utilizar as dez doses em até oito horas a partir do momento em que a primeira foi aplicada.

“Se essas 10 doses não forem utilizadas em até 8 horas, nós não conseguimos garantir a integridade e a pureza da vacina. Então, além de determinar esse prazo de até 8 horas para que a vacina seja utilizada, a nossa preocupação é que as técnicas assépticas para manuseio estejam atentas para que não haja qualquer risco de contaminação desse frasco durante o uso”. 

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade