Clique e assine por apenas 6,90/mês

Sesc Pompeia vira alvo de ataques no Facebook

Centro cultural recebeu críticas por seminário com teórica americana que discute gênero. Profissionais do meio cultural saíram em defesa do Sesc

Por Tatiane de Assis - Atualizado em 27 out 2017, 19h12 - Publicado em 27 out 2017, 16h31

Os protestos virtuais contra a programação de centros culturais continuam. Depois da mostra Queermuseu, no Santander Cultural, em Porto Alegre, e do Panorama da Arte Brasileira, no MAM, o Sesc Pompeia virou o alvo. A instituição tem recebido críticas e ataques em sua página no Facebook em função da participação da teórica americana Judith Butler no seminário Os Fins da Democracia, programado para os dias 7 e 9 de novembro.

Os internautas contrários à Butler dizem que sua presença é nociva, porque ela é a criadora do que chamam de “ideologia de gênero”. A petição para o cancelamento do seminário, com cerca de 100 mil assinaturas, afirma que a estudiosa “propõe a desconstrução da identidade humana por meio da desconstrução da sexualidade”. 

Parte dos visitantes da instituição, projetada pela arquiteta Lina Bo Bardi, e profissionais do meio cultural têm se mobilizado na internet para apresentar um contraponto às críticas. Em avaliações positivas do espaço cultural, tem falado sobre as experiências que tiveram no Sesc Pompeia.

O Sesc Pompeia foi procurado,  mas não quis se pronunciar sobre o caso. O seminário Os Fins da Democracia é um evento conjunto entre o centro cultural, o Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo e a Universidade da Califórnia em Berkeley, Estados Unidos. 

Dentre os convidados, estão professora de Ciência Política Wendy Brown, o psicanalista Christian Dunker e os filósofos Susan Buck-Morss e Vladimir Safatle. Os ingressos estão esgotados.

Continua após a publicidade
Publicidade