Clique e assine com até 89% de desconto

Sede do Porta dos Fundos é bombardeada na véspera de Natal

Humoristas recebem críticas de políticos, como Eduardo Bolsonaro, e é alvo de uma CPI por mostrar Jesus homossexual

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 25 dez 2019, 12h44 - Publicado em 25 dez 2019, 12h42

Vândalos aproveitaram os festejos na madrugada de 24 de dezembro, véspera de Natal, para promover um ataque na sede do Porta dos Fundos, no Rio. Segundo informações nas redes sociais de Antonio Tabet, um dos criadores do grupo humorístico, atiraram coquetéis molotov contra o edifício.Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio e não houve feridos apesar da ação ter colocado em risco várias vidas inocentes na empresa e na rua”, escreveu Tabet. Ele disse que revelará os detalhes das investigações.

Os humoristas têm recebido inúmeras críticas, entre elas, do deputado federal Eduardo Bolsonaro, e virou alvo até de uma CPI promovida por alguns deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo por causa do especial de fim de ano exibido no Netflix, A Primeira Tentação de Cristo.

No filme, Jesus (Gregorio Duvivier) se descobre homossexual e apresenta à família seu “novo amigo” (Fabio Porchat) após passar a temporada de quarenta dias no deserto. A trama também mostra um triângulo amoroso entre Deus (Antonio Tabet), Maria (Evelyn Castro) e José (Rafael Portugal). O filme divide as críticas.

“O Porta dos Fundos condena qualquer ato de violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos. Contudo, nossa prioridade, neste momento, é a segurança de toda a equipe que trabalha conosco”, escreveu Tabet.

Fabio Porchat também se manifestou, citando um verso da música Divino Maravilhoso de Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Abaixo, as manifestações dos humoristas

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

Na madrugada do dia 24 de dezembro, véspera de Natal, a sede do Porta dos Fundos foi vítima de um atentado. Foram atirados coquetéis molotov contra nosso edifício. Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio e não houve feridos apesar da ação ter colocado em risco várias vidas inocentes na empresa e na rua. O Porta dos Fundos condena qualquer ato de violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos. Contudo, nossa prioridade, neste momento, é a segurança de toda a equipe que trabalha conosco. Assim que tivermos mais detalhes, voltaremos a nos manifestar. Mas, por enquanto, adiantamos que seguiremos em frente, mais unidos, mais fortes, mais inspirados e confiantes que o país sobreviverá a essa tormenta de ódio e o amor prevalecerá junto com a liberdade de expressão.

A post shared by Antonio Tabet (@antoniotabet) on

https://platform.twitter.com/widgets.js

Continua após a publicidade
Publicidade