Museus celebram a literatura de cordel com atrações grátis

Casa das Rosas, Guilherme de Almeida e Mário de Andrade promovem oficinas, exposições e exibições de filmes sobre o tema

De origem ibérica, a literatura de cordel foi incorporada na história do Brasil e virou sinônimo da cultura nordestina, tendo sido declarada patrimônio cultural brasileiro em setembro. Os pequenos livretos, com ilustrações feitas por vezes com técnica de xilogravura, costumam retratar histórias locais e aventuras fantásticas. De maio a junho, a Casa das Rosas, a Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade recebem uma programação gratuita que celebra o cordel.

A Casa Das Rosas, na Avenida Paulista, apresenta a exposição O Cordel em Portugal e no Brasil. Um acervo de mais de 100 obras, que foram produzidas no Brasil e em Portugal entre os séculos XVII  e XX, ficará exposto no local. A coleção do curador da mostra Arnaldo Saraiva mostra diferentes estilos dessa literatura. No mesmo local devem ser exibidos filmes sobre o assunto. Um deles, lançado em 2014, é inspirado em um cordel feito pelo músico Alceu Valença, também diretor do longa.

Já a Casa Guilherme de Almeida, no Sumaré, realiza uma oficina de xilogravura, técnica de talhamento em madeira utilizada para a elaboração das capas dos cordéis. Além disso, o local exibe o filme O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro e debate a importância de Glauber Rocha, diretor do longa-metragem, no chamado cinema de cordel. A produção exibida é de 1969 e faz referência aos cordelistas nordestinos.

Na Casa Mário de Andrade, Barra Funda, as atividades são voltadas para a escrita. No curso Literatura de Cordel, os interessados poderão conhecer a história do gênero literário e desenvolver textos com orientação dos professores. A exposição O Cordel na Pauliceia xibe folhetos contemporâneos que foram produzidos em São Paulo.

Para participar de uma oficina ou curso os interessados precisam realizar inscrição no site de cada museu. Confira abaixo a programação completa:

Casa das Rosas. Avenida Paulista, 37- Paraíso.

  • Exposição O Cordel em Portugal e no Brasil. 7 de maio a 6 de junho
  • Exibição do filme O Homem que Virou Suco (1981, direção de João Batista de Andrade). 16 de maio (quinta-feira), às 19h
  • Exibição do filme A Luneta do Tempo (2014, direção de Alceu Valença). 6 de junho (quinta-feira), às 19h

Casa Guilherme de Almeida. Rua Macapá, 187 – Sumaré.

  • Oficina de Xilogravura: capa de cordel. 7 a 28 de maio, às terças-feiras, das 15h às 17h
  • Glauber Rocha e o Cinema de Cordel. 11 de maio (sábado), às 15h

Casa Mário de Andrade. Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda.

  • Exposição O Cordel na Pauliceia. Abertura em 10 de maio (sexta-feira)
  • Curso Literatura de Cordel. 9 de maio a 13 de junho, às quintas-feiras, das 19h às 21h
  • Lançamento do CD SerTão Distante, do artista pernambucano Aldy Carvalho. 4 de maio (sábado) das 16h às 18h

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s