Clique e assine por apenas 6,90/mês

Kéfera Buchmann é condenada a indenizar taxista em 25 000 reais

O motorista a processou por danos morais e uso indevido de imagem por ela ter publicado um vídeo da discussão dos dois nas redes sociais

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 21 Nov 2017, 19h19 - Publicado em 21 Nov 2017, 19h17

A youtuber Kéfera Buchmann foi condenada a indenizar um taxista que discutiu com ela durante uma corrida em São Paulo. No episódio, ocorrido em 2015, a garota foi expulsa do veículo por estar comendo uma marmita.

Após o incidente, ela publicou trechos do bate-boca dos dois na internet. Também divulgou a placa, nome e número de celular do motorista para que os fãs o denunciassem e, segundo ela, “para manter o telefone dele bem ocupado e não aceitar nenhum passageiro”. Removido do aplicativo do Easy Taxi, o homem a processou por danos morais e uso indevido de imagem.

Em depoimento, ele disse ter recebido milhares de ligações com xingamentos e ameaças de morte.

O vídeo foi apagado do canal da youtuber depois que ela publicou um outro depoimento sobre o caso, mas as imagens ainda circulam em outros canais. O Google, dono do YouTube, também foi condenado a remover os vídeos da plataforma.

Continua após a publicidade

A decisão da 1º Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, no último dia 13, fixou o pagamento em 25 000 reais, além de arcar com as custas do processo. O pedido inicial do motorista era de 78 000 reais. Cabe recurso.

Publicidade