Clique e assine por apenas 6,90/mês

Ginásio do Ibirapuera ganha espetáculo drive-in de 6 milhões de reais

SP Reage: Investimento vem de quatro empresas, e o trajeto simula uma incursão no espaço sideral de 6 000 metros quadrados

Por Tatiane de Assis - Atualizado em 4 set 2020, 01h54 - Publicado em 4 set 2020, 06h00

A partir de sexta (11), as quadras cobertas do complexo do Ginásio do Ibirapuera ganham novo uso. Montado ali como um espetáculo drive- in, Vianova e os Viajantes do Espaço entra em cartaz com uma mensagem clara: o setor do entretenimento na cidade está encontrando maneiras seguras de retomar as atividades. O investimento é de 6 milhões de reais, vindos da união de quatro empresas sob o selo da companhia Road Tour. “Tiramos o projeto do papel em setenta dias. Foi a nossa resposta à crise. O mercado de produção de eventos foi devastado”, conta Rodrigo Biondi, diretor de operações. Biondi tem como seu braço direito, entre outros, o produtor Felipe Kawasaki.

“No começo da pandemia, meu contrato foi interrompido, por causa da queda do faturamento. Quando me chamaram de volta para esse projeto, fiquei muito feliz”, afirma Kawasaki. Para construir uma incursão no espaço sideral pelos mais de 6 000 metros quadrados, os elementos cenográficos são complementados com projeções em videomapping. O ingresso, válido para até quatro pessoas em cada veículo, custa 220 reais. Pelo mesmo preço, quem não tem carro pode alugar no local um automóvel. Cada viagem tem duração total de quarenta minutos e o tráfego em cada incursão é limitado a quatro carros. Por dia, espera-se a visita de 480 “naves” de quatro rodas.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Na trama, a proprietária de uma fábrica maluca, a Madame Dumont, recebe assistência de Albert e Santos — sim, são referências ao inventor brasileiro. Seu sonhos, porém, lembram mais os desejos do bilionário Elon Musk. O trio de bonecos de animação (nada de atores de carne, osso e máscara) conduz a aventura. A primeira parada é a desinfecção por meio de jatos nebulizadores com uma solução para higienização e a medição de temperatura dos tripulantes. Depois do setor de decolagem, chama atenção o ambiente do pouso na Lua, com um chão desnivelado cheio de crateras, rochas cinzentas de isopor, jatos de CO² e feixe de laser. No núcleo do sistema solar, há planetas pendurados e um Sol de fibra de vidro com 2 metros de diâmetro. A etapa final pode emocionar ao propor a criação de um novo mundo, com réplicas de árvores e plantas artificiais em verde e rosa vibrantes.

É proibido sair do carro. Qualquer problema deve ser comunicado com o pisca-alerta. Quarenta monitores distribuídos ao longo do percurso orientam os passageiros. A situação de cada ambiente também é monitorada em um QG, onde câmeras instaladas nas salas são acompanhadas por uma equipe de quinze pessoas. Sobre a segurança do empreendimento, vizinho ao hospital de campanha do Ibirapuera, a Secretaria de Saúde do Estado afirma: “Os requisitos técnicos e de saúde respeitam integralmente as orientações do Plano São Paulo para realização de eventos em cidades na fase amarela e também os decretos da Prefeitura de São Paulo para este fim”.

> Vianova e os Viajantes no Espaço. Complexo do Ginásio do Ibirapuera. Avenida Marechal Estênio Albuquerque Lima , 251, Portão 12, Ibirapuera. Terça a quinta, 10h às 20h; sexta a domingo, 9h às 21h. R$ 220,00 (grupo de quatro pessoas em um carro). sympla.com.br. Até 11 de outubro.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 9 de setembro de 2020, edição nº 2703.

Continua após a publicidade
Publicidade