Clique e assine por apenas 6,90/mês

Conheça a nova atração Star Wars do Walt Disney World

Visitantes lutam ao lado de heróis e podem até pilotar famosa nave

Por Tatiane Rosset - Atualizado em 21 Feb 2020, 11h47 - Publicado em 21 Feb 2020, 06h00

A saga de Luke Skywalker e companhia nos cinemas chegou ao fim com o filme Star Wars: a Ascensão Skywalker, mas a aventura está apenas começando para quem tem viagem marcada para o Walt Disney World Resort, nos Estados Unidos — o Brasil é o terceiro país em visitantes dos parques em Orlando, na Flórida. O Disney’s Hollywood Studios inaugurou em dezembro a mais esperada atração da área temática dedicada à franquia. Batizada de Star Wars: Rise of the Resistance, a novidade é totalmente imersiva. Quem embarca na jornada é recrutado para a Resistência e, de quebra, assume a missão de auxiliar heróis da série como Rey, Finn e Poe Dameron. “Nossa ideia foi colocar os fãs no meio da ação”, afirma Scott Trowbridge, executivo de criação de Walt Disney Imagineering e responsável pela concepção da área temática Star Wars Galaxy’s Edge. Ele esteve em São Paulo e recebeu a Vejinha para uma entrevista exclusiva. “Não queríamos que o visitante fosse só mais um passageiro na nave. Você realmente fica atrás dos controles.”

O droide BB-8: uma mensagem de Rey aos novos recrutas da Resistência Matt Stroshare/Veja SP
O vilão Kylo Ren, neto de Darth Vader: perseguição espacial Steven Diaz/Veja SP

Para uma parte dos admiradores de Star Wars, a expectativa pela inauguração de um espaço todinho voltado para a sequência cinematográfica no Walt Disney World foi quase a mesma da estreia dos filmes. O anúncio foi feito em 2014, a construção teve início em 2016 e só em agosto de 2019 o local abriu as portas, mas apenas com o simulador Star Wars: Millennium Falcon — Smugglers Run, inspirado na nave comandada por Han Solo na trilogia lançada nos anos 70. Nele você pode assumir a função de piloto, engenheiro e até da artilharia e realmente apertar botões. A novidade? A performance importa: suas habilidades podem render mais pontos e até despertar a atenção de um caçador de recompensas ou dos vilões da Primeira Ordem. A atração se passa em um planeta chamado Batuu, não exibido nos cinemas. O fato de ser um complemento aos filmes (e não uma simples reprodução) é outro ponto forte da aventura intergaláctica do parque, que pode crescer ainda mais nos próximos anos. “Existem ideias suficientes para construir mais umas 500 atrações de Galaxy’s Edge”, prospecta Trowbridge. De certo, por enquanto, é o hotel Star Wars: Galactic Starcruiser, previsto para 2021. Nele, os convidados só poderão ficar hospeda- dos por duas noites e os funcionários farão de tudo para que eles se sintam no espaço. “É um lugar para dormir, comer e relaxar. Mas basta querer encontrar uma história ou aventura e ela irá até você”, explica o executivo.

Scott Trowbridge: executivo de criação da Walt Disney Matt Stroshare/Veja SP

A força da saga

> 56 600 metros quadrados é o tamanho de Star Wars: Galaxy’s Edge, a maior área de um único tema nos parques Disney.

Continua após a publicidade

> Mais de 7 000 adereços foram criados para o local temático.

> A área de alimentação oferece cerca de 50 opções de comida e bebida que só são encontradas ali, como oi-oi puff, sonho de framboesa e musse de maracujá.

> O pico mais alto da área em Orlando tem quase 40 metros de altura, o equivalente a um prédio de treze andares.

> Existem mais de 120 000 combinações possíveis para montar o seu sabre de luz.

Continua após a publicidade

> 1 700 novos postos de trabalho foram abertos para operar a área temática na Disney.

 

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 26 de fevereiro de 2020, edição nº 2675.

Publicidade