Clique e assine por apenas 5,90/mês

‘Como será o mundo daqui 150 anos’ é tema de festival

Profissionais de diversas áreas da economia criativa discutem as mudanças e imaginam o futuro no Pixel Show

Por Redação VEJA São Paulo - 6 out 2020, 17h44

O festival Pixel Show vai reunir entre os dias 12 e 18 de outubro nomes nacionais e internacionais do design, da arquitetura, das artes, do audiovisual e de outras áreas da economia criativa para bate-papos, workshops e palestras. O objetivo é discutir o futuro do mundo e seus caminhos. A programação se divide em atividades pagas e gratuitas e, desta vez, todas elas serão transmitidas de forma online.

+Assine a Vejinha a partir de R$ 6,90 mensais

A programação gratuita, como a feira virtual, as cercas de trinta palestras curtas, conhecidas como sharp talks, e as performances musicais e artísticas podem ser conferidas no fim de semana nos dias 17 e 18 de outubro no site feira.pixelshow.co. O evento traz uma série de atrações voltadas para a família com profissionais das áreas das artes, tecnologia e inovação.

Estão entre as atividades sessões de filmes curtos, oficinas e workshops, desafios e tutoriais da Lego, experimentações de novos jogos eletrônicos, além de performances artísticas ao vivo. Uma delas é a Isopresso Balloon, que será transmitida em tempo real direto do Japão. Nesta, o artista Masayoshi Matsumoto mostra como faz insetos cheios de detalhes com bexigas.

Já a Conferência, em que acontecem as palestras, inicia no dia 12 e é preciso adquirir o ingresso por meio do site pixelshow.co. As entradas custam entre 160 reais e 320 reais. Os eventos devem ser acessados pela mesma plataforma e também pelo aplicativo do festival. São cerca de setenta palestras já confirmadas na agenda, transmitidas de países como Holanda, Ingraterra, Suécia e Israel. Além disso, quem comprar os tíquetes para os encontros também terá acesso gratuito aos workshops da Pixel Show, que nos anos anteriores eram oferecidos à parte, com venda de ingressos.

Entre os destaques da Conferência está o ilustrador sueco Mattias Adolfsson. Mestre em design gráfico, ele é conhecido por seus trabalhos de ilustrações de cidades cheias de prédios, em diferentes perspectivas, e pelos seus personagens curiosos. Depois de trabalhar por dez anos na produção de jogos de computador, ele voltou aos desenhos a lápis. Foi consultor de empresas como Google, Nickelodeon, Warner Bros., Dreamworks, Disney, entre outros.

Divulgação/Veja SP

Também chama a atenção a apresentação do artista londrino Ben Eine, com trinta anos de carreira e pioneiro em aplicação de tipografia no grafite. São dele obras de letras enormes, coloridas e brilhantes pintadas pelas ruas do leste de Londres. Na mesma região, em 2018, ele foi responsável pela criação do mural CREATE, pintura de proporções gigantescas feita em um terreno industrial do local. Suas obras também podem ser vistas em endereços como V & A Museum London, Museu de Arte Moderna de Los Angeles, Museu de Arte Contemporânea de São Francisco e Museu de Arte de Rua Urbana de Berlim.

Outro encontro que promete é com o Biomimic Studios, que traz robôs animatronic conhecidos por estarem em filmes e parques. Aqui, o papo aborda a junção entre a arte, a tecnologia e o entretenimento. Nas credenciais do estúdio está a participação na última trilogia da franquia de Star Wars.

Continua após a publicidade
Divulgação/Veja SP

Um dos assuntos que será debatido é a digitalização do trabalho, processo acelerado com a pandemia e com o isolamento social. Quem fala sobre isso é a especialista em negócios digitais e inovação Martha Gabriel. Ela será a keynote de abertura da Conferência e vai ajudar a plateia na busca de oportunidades em meio a essas mudanças.

A fotógrafa de moda de Israel Ella Uzan também é uma das convidadas. A profissional é conhecida por criar fotos com efeitos diferentes, usando ângulos e materiais diversos para a impressão. Há quem a chame de precursora dos filtros de Instagram para o papel. Do mesmo país aparece o designer Yam Ben Adiva, da Yambo Studio, expert em imagens geradas pelo computador, o CGI, e nas criações de cenários inexistentes usando arte e efeitos em 3D. Ele vai abordar o futuro digital.

Ainda em Conferência, há encontros com o designer Abbott Miller, sócio do Pentagram, cooperativa que reúne profissionais que dividem seus trabalhos e lucros; com Liza Enebis, da Studio Dumbar, que deve falar sobre comunicação do DNA de marcas; com o artista gráfico holandês Michiel Schuurman; e com a dupla Daniel Rodrigues e Rafael Araújo, do Buck Studio, para um papo sobre animação e processo criativo.

Aqueles que comprarem e participarem da Conferência também ganha acesso gratuito a plataforma de ensino Crehana.com, com mais de 500 cursos online à disposição, como web design, fotografia, negócios e marketing digital, todos focados em aulas práticas.

 

 

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade