Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Chuva de meteoros Perseidas poderá ser vista na capital na quinta (12)?

Fenômeno chega ao ápice durante a madrugada; conversamos com especialistas sobre o tema

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 11 ago 2021, 11h49 - Publicado em 11 ago 2021, 11h48

A chuva de meteoros Perseidas acontece todo ano entre julho e agosto e, no ano passado, uma média de 50 a 75 meteoros por hora passando no céu foi registrada. Neste ano, especialistas calculam que o fenômeno atingirá seu pico nas madrugadas de quinta-feira (12) e sexta-feira (13). As condições de visualização do fenômeno na capital, no entanto, são difíceis.

O fenômeno da chuva de meteoros Perseidas ocorre devido ao movimento orbital da Terra, que periodicamente retorna à região onde estão os destroços da passagem do cometa Swift-Tutle.

De acordo com Marcos Calil, astrônomo associado ao Instituto Climatempo, a expectativa para este ano é que 100 meteoros por hora passem no céu. A chuva de meteoros tem maior visibilidade no hemisfério norte e nas regiões norte e nordeste do Brasil, pela proximidade da linha do Equador, então Calil alerta que em São Paulo a visualização é improvável e acontecerá apenas com a combinação de alguns fatores.

“Para a região sudeste em geral, [a chuva de meteoros] vai estar muito próxima da linha do horizonte norte, por isso, estamos no limite de observação”, relata Calil. “A observação tem que atender às seguintes condições observacionais: a pessoa tem que estar em uma cidade com baixa ou nenhuma poluição luminosa; não pode haver nenhum prédio, árvore ou montanha na frente, que já atrapalhariam a observação, e é necessário atentar ao horário, o melhor momento de observação ocorrerá entre as 4 e 5 horas da manhã”, completa.

Outro fator fundamental é um céu noturno limpo. A meteorologista Josélia Pegorim já adianta que a chance de observação da chuva de meteoros Perseidas na Grande São Paulo será “muito pequena”.

Josélia explica que a condição meteorológica será muito ruim, com nuvens e frio. “A Grande São Paulo terá nebulosidade e até possibilidade de chuva nas madrugadas de quinta (12) e sexta-feira (13), melhores dias de observação. Para desestimular ainda mais quem quiser tentar ver alguma coisa, estaremos com temperatura baixa e vento frio nas madrugadas”, brinca a meteorologista.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Continua após a publicidade

Publicidade