Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

As fantasias que bombaram no bloco Tarado Ni Você

Uma profusão de chifres, glitter e muitas meias-arrastão tomou as ruas do centro de São Paulo

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 10 fev 2018, 19h08 - Publicado em 10 fev 2018, 17h27

Uma profusão de chifres, glitter e muitas meias-arrastão tomou as ruas do centro de São Paulo com a passagem do bloco Tarado Ni Você neste sábado, 10. O grupo criado há cinco anos, que toca músicas somente do cantor baiano Caetano Veloso, anima foliões desde 10 horas da manhã.

No clima de festa, várias folionas também fizeram topless. “Está todo mundo de chifre hoje porque a música-tema neste ano é Vaca Profana”, explica o tradutor Alex Gomide, que todo ano costuma acompanhar o bloco com um amigo.

Fã de Caetano, o estudante Alan Augusto dos Santos veio de saia e com os longos cabelos cacheados soltos. “A ideia é homenagear o Caetano nessa fase anos 1970, que é a melhor dele”, explica.

View this post on Instagram

-Moça, não pode sentar aí. -Tá. #taradonivoce #carnavalsp #sp #theatromunucipal #caernaval #afrontosa

A post shared by Débora Veneziani (@deboraveneziani_) on

Apesar de a maioria dos foliões estar fantasiada, uma caminhonete com collants, saias brilhantes e acessórios fazia sucesso entre os desavisados, que vieram sem adereços. Pela manhã, Nana Calazans, dona do negócio, esperava faturar R$ 5 mil até o fim do desfile.

View this post on Instagram

Profanos! #taradonivoce #sp #carnaval 🎊🎊🎊🎊🎊

Continua após a publicidade

A post shared by Marcelo Santos (@celosps) on

E em meio à quantidade de ambulantes, o trio teve até de pedir aos vendedores para dar passagem na Avenida Ipiranga, por onde passou o desfile.

DEBAIXO DE SOL

Mesmo com o calor forte, a cerveja não foi o drinque mais visto nas mãos dos frequentadores. As maiores filas se formavam para os ambulantes que vendiam gelinhos feitos de vodca e frutas naturais, além das garrafinhas geladas de catuaba.

View this post on Instagram

⭐️ #taradonivoce

A post shared by Laís Melo (@lais.cmelo) on

“Normalmente não bebo tão cedo, mas carnaval é exceção, né? Só assim para aguentar esse calor”, disse a bióloga Anna Trummen, que chacoalhava sua garrafinha de vodca no meio da dança.

https://www.instagram.com/p/BfBXzynA1cI/?tagged=taradonivoce

Continua após a publicidade
Publicidade