Continua após publicidade

App que caiu nas graças de famosos é suspeito de usar dados ilegalmente

App que voltou a viralizar nos último dias reacende preocupação com privacidade de informações

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 Maio 2024, 18h07 - Publicado em 16 jun 2020, 19h52

O FaceApp é um aplicativo de fotos que usa inteligência artificial para transformar selfies de homens em mulheres e vice-versa, mostrar como usuários ficariam mais velhos e outras dezenas de modificações. O app caiu nas graças de famosos e anônimos, que compartilham resultados impressionantes de mudança de gênero. A ferramenta, no entanto, não possui sua política de privacidade muito clara.

+ Assine a Vejinha a partir de 6,90

Há anos, o FaceApp está cercado de polêmicas. O app é acusado de “roubar” dados por conta da política de privacidade. Ele já foi investigado nos Estados Unidos pelo FBI (o Departamento Federal de Investigação) em 2019, o que fez com que Apple e Google recebessem multas no Procon e foi chamado de racista por branquear fotos de pessoas negras.

Apesar de não ser possível ter uma única interpretação do termos de uso, a política de privacidade, atualizada dia 04/06, pode dar a Wireless Lab, empresa russa responsável pela plataforma, a possibilidade de coletar dados dos usuários como fotos, informações de redes sociais, modelo de celular, sites que foram visitados etc. A Wireless Lab afirma que as informações são usadas para melhorar a plataforma, direcionar anúncios e para prevenir fraudes.

Continua após a publicidade
(Instagram/Reprodução)

Ao usar o app, os usuários dão à empresa o direito para que use fotos do usuário para fins publicitários, sem pedir autorização. Outra polêmica dos termos é dar à empresa a possibilidade de “processar, armazenar e transferir suas informações para outros países”, sem dar mais detalhes.

Para o processamento e edição de fotos, a empresa afirma que usa armanezamento de nuvem terceirizados, o Google Cloud Platform e a Amazon Web Services, e garante que usa apenas fotos que o usuário escolhe e que elas ficam “na nuvem” por um período de 24 a 48 horas, caso sejam necessárias mudanças dos usuários.

Continua após a publicidade

+ Assine a Vejinha a partir de 6,90

De acordo com a empresa, o aplicativo não compartilha informações com terceiros e que as fotos são usadas apenas para o propósito do aplicativo.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.