Clique e assine por apenas 6,90/mês

Achados na noite

Mila Strauss e Marcos Paulo Caldeira, do MM18, falam da experiência de transformar edificações "invisíveis' em sucessos boêmios como a Tokyo e o Cine Joia

Por Raul Juste Lores - Atualizado em 21 Jan 2020, 01h10 - Publicado em 21 Jan 2020, 00h10

O que existe em comum entre o Bar dos Arcos, o Cine Joia, a balada-karaokê Tokyo, as discotecas Yacht e Lions e o restaurante Ramona? Além de todos estarem localizados em prédios antigos, essas casas do melhor do circuito hipster-cool paulistano saíram das pranchetas dos arquitetos Mila Strauss e Marcos Paulo Caldeira, do escritório MM18.

No podcast #SPsonha, a dupla, que estudou em Barcelona e que entende muito de ambientes instagramáveis, fala com Raul Juste Lores sobre a importância de se desbravar áreas e edificações mais largadas, “invisíveis’ ou subutilizadas da cidade. Sugerem caminhar “em grupo” sem medo pelo Centro e apontam vários outros bairros que mereceriam mais movimento e empreendimentos assim. “São Paulo tem muito a ser resgatado”, diz Mila.

Publicidade