Continua após publicidade

A despedida de Roberto Carlos a Erasmo Carlos: “A dor é muito grande”

"Ele viverá sempre em meu coração", disse o grande amigo do cantor e compositor, que morreu aos 81 anos

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 nov 2022, 11h02 - Publicado em 23 nov 2022, 11h02

Roberto Carlos se manifestou na noite da última terça-feira (22) sobre a morte de seu amigo e parceiro musical Erasmo Carlos. Em publicação no Instagram, ele prestou uma homenagem ao artista em um texto de despedida.

“Minha dor é muito grande, nem sei como dizer tudo o que eu penso desse meu amigo querido, meu grande irmão. Meu ídolo por tudo, pela sua lealdade, sua inteligência, sua bondade, por tudo o que eu conheço dele. Um ser humano maravilhoso esse meu irmão. É um privilégio para mim ter um amigo, um irmão assim por todos esses anos”, começou.

“O meu amigo Erasmo Carlos. Ele viverá sempre em meu coração. Que o nosso Deus de bondade o proteja e o abençoe sempre. Amém, amém, amém”, escreveu. 

+ Velório de Erasmo Carlos será fechado para familiares e amigos

Continua após a publicidade

Trajetória

Ídolo da Jovem Guarda, o cantor e compositor alcançou sucesso nacional nos anos 60, ao lado do parceiro Roberto Carlos e da cantora Wanderléa, com sucessos como Gatinha Manhosa e Minha Fama de Mau.

Toma novos caminhos na carreira nos anos 70 a partir dos discos Carlos, Erasmo (1971) e Sonhos e Memórias (1972), que unem seu rock marcante com canções atemporais, como Gente Aberta e Grilos, reafirmando sua posição como um dos maiores compositores da música brasileira.

Traçou uma longa e ativa discografia de sucessivas reinvenções até o último momento. Erasmo havia acabado de receber o Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa pelo disco O Futuro Pertence À… Jovem Guarda (2022).

Continua após a publicidade

Também enveredou por caminhos além da música. Atuou no filme Modo Avião (2020) e escreveu uma autobiografia, Minha Fama de Mau (2008), que viria a se tornar um longa-metragem homônimo em 2019, estrelado por Chay Suede.

Muitos famosos, entre eles o presidente eleito Lula, lamentaram a morte de Erasmo Carlos. Veja aqui.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.