Clique e assine por apenas 6,90/mês

Conheça 4 aprendizes que lutam pelo posto de revelação gastronômica

Eles são talentosos, trabalham ao lado de chefs estrelados e agora também garantem pitadas de emoção no novo reality Nespresso Talentos da Gastronomia

Por Abril Branded Content - 17 ago 2018, 16h20

Quais são os ingredientes que compõem um mestre da gastronomia? Além de domínio técnico, conhecimento e criatividade, vivências, impressões e inspirações pessoais tornam cada chef de cozinha único. Desde o dia 9 de agosto, o reality Nespresso Talentos da Gastronomia , no ar semanalmente no canal da marca no YouTube, tem revelado essa complexa construção que eleva competentes aprendizes ao topo da hierarquia gastronômica – e com uma cereja no bolo: todos os participantes foram indicados por chefs renomados da cidade de São Paulo, com os quais trabalham há algum tempo. Ao longo dos desafios do programa, os oito competidores executam diversas provas práticas, como preparar uma refeição completa para os funcionários da Fazenda Cachoeira da Grama, em São Paulo, onde são produzidos os cafés especiais de Nespresso. Confira nos quadros ao lado os perfis de Alexandre Ballarin, Maria Antonieta Rodrigues, Cris Blondel e Gabriela Thalg, indicados respectivamente pelos chefs Rodrigo Oliveira, Vivi Gonçalves, Oscar Bosch e Alain Poletto.

Nespresso

Alexandre Ballarin, 22 anos, cozinheiro de criação do Esquina Mocotó

A cozinha sempre foi a paixão desse jovem cozinheiro, descendente de italianos e portugueses, que adora devorar livros, séries e filmes relacionados ao assunto. “Estudar gastronomia é muito mais do que entender uma receita. É me aprofundar sobre imigração e história”, conta. Integrar o quadro de funcionários do Esquina Mocotó, onde começou como estagiário, era seu sonho desde a universidade. Três anos depois de formado, Ballarin virou braço direito de Rodrigo Oliveira, que não poupa elogios ao pupilo. “Muito curioso, superesforçado e inteligente”, diz o chef.

Nespresso/Divulgação

Cris Blondel, 27 anos, sous-chef do Tanit

Continua após a publicidade

Uma obrigação dos tempos de criança que virou profissão e, claro, paixão. Assim é a cozinha na vida desse paulistano que ama comida de vó, frutos do mar – herança de uma temporada em Santiago, no Chile – e uma dose de pressão. “Pode me apresentar um problema enorme, minha postura não muda”, diz o competidor, conhecido por sua tranquilidade. No Tanit há dois anos, aprendeu com Oscar Bosch a contornar qualquer situação. “Demorou um pouquinho para encaixar com essa calmaria dele”, revela Oscar. Hoje o entrosamento entre os dois é tanto que bastam olhares para saber quais passos seguir durante a execução de uma receita.

Nespresso/Divulgação

Maria Antonieta Rodrigues, 47 anos, sous-chef do Chef Vivi

Difícil imaginar, mas a cozinha que hoje tanto dá à Toninha – como é chamada por seus colegas – já foi cenário de muitas tristezas, quando morava no sertão da Paraíba, região castigada pela seca. Sua família dependia do plantio de alimentos, e sem chuva não havia com o que se alimentar. No universo da gastronomia há apenas quatro anos, começou lavando pratos no Chef Vivi, chamando atenção por sua organização e atenção. “Decidi treiná-la para o meu fogão e foi a melhor coisa que eu fiz”, fala Vivi Gonçalves. A resposta a essa oportunidade vem todos os dias, com muito esforço e trabalho. “O que mais admiro na chef é a garra. Temos isso em comum”, fala a participante.

Nespresso/Divulgação

Gabriela Thalg, 25 anos, sous-chef do Bistrot de Paris

Continua após a publicidade

Ela tinha apenas 9 anos quando começou a inventar na cozinha, adaptando receitas de programas de culinária. Com uma mãe que passava boa parte do dia trabalhando, era preciso criatividade para variar o cardápio. Depois de se formar em gastronomia e estagiar na cozinha de um hospital, a aprendiz embarcou em uma viagem pra lá de ousada: passou três anos como cozinheira de um navio, período em que conheceu 27 países e experimentou culturas de todo o mundo. No Bistrot de Paris, onde trabalha desde abril de 2017, vê o chef Alain Poletto como um grande professor. Não à toa: “Minha cozinha são meus alunos. Eles são a continuação da minha carreira”, diz o mentor.

Acompanhe a série em youtube.com/nespresso.

Publicidade