Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Tudo de Som Novidades da música, clipes, entrevistas, artistas, listas e shows.

Maria Rita pede fim de comparações com Elis Regina em desabafo

"Não chego aos pés", disse a cantora sobre a mãe, que faleceu há quase 40 anos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 13 jan 2022, 16h12 - Publicado em 13 jan 2022, 16h11

A cantora Maria Rita, 44, usou as redes sociais na última quarta-feira (12) para fazer um desabafo sobre as críticas e comparações que recebe com frequência desde que gravou um álbum em 2012 em homenagem a mãe, Elis Regina, a poucos dias da morte da artista completar 40 anos.

“Não querer que me comparem tinha — e tem — dois principais motivos: 1. ser eu, ser livre pra cometer meus erros e ter minhas conquistas, escrever uma história distinta à dela. 2. ninguém se compara à incomparável. ninguém”, disse no Twitter.

+Studio SP adia programação de shows de janeiro; confira as novas datas

Maria Rita começou a cantar profissionalmente em 2002, aos 24 anos. Ela tinha apenas 4 anos quando Elis morreu aos 36 anos, no dia 19 de janeiro de 1982. Ela foi criada pelo pai, o pianista e arranjador César Camargo Mariano.

A cantora afirma que a mãe não gostaria que criticassem sua filha para exaltar seu talento, e que as duas têm vozes diferentes. “Faz isso não. É feio. Ninguém gostaria de passar por isso, principalmente uma mãe”, diz. “Minha voz é mais grave e mais “suave”. eu sou alto/contralto, minha mãe alto/soprano”, explica em outro trecho.

Continua após a publicidade

“Ps.: e eu acho que eu canto para c*****o!!! Mas não chego aos pés de dona Elis. Mas e quem chega?”, finaliza.

Leia na íntegra:

Continua após a publicidade

Publicidade