Imagem Blog

Tudo Sobre Cinema Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Continua após publicidade

Druk, favorito ao Oscar 2021, é bom. Mas o diretor já fez filmes melhores

Confira outros trabalhos do diretor dinamarquês Thomas Vinterberg no Amazon Prime Video e Globoplay

Por Miguel Barbieri Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 9 abr 2021, 13h38 - Publicado em 8 abr 2021, 10h00

A inclusão de Thomas Vinterberg no Oscar 2021 de melhor direção foi uma surpresa, mas o dinamarquês é o azarão da competição. O mesmo não se pode dizer de Druk — Mais uma Rodada, favorito ao prêmio de filme internacional. Sem passagem pelos cinemas, o longa-metragem está disponível nas plataformas de aluguel, como o NOW.

Vinterberg é um diretor sempre inquietante, porém irregular em seus altos (A Caça) e baixos (Querida Wendy). Druk, embora um dos pontos positivos de sua carreira, tem imperfeições. O realizador abre um pertinente debate sobre a ingestão (às vezes excessiva) do álcool. Contudo, perde o foco em alguns conflitos. A trama está centrada em quatro amigos, que lecionam numa escola para crianças e jovens. Ao saber de uma teoria em que o ser humano possui menos álcool no sangue que o satisfatório, eles decidem fazer um “pacto” secreto e beber, só um pouquinho, durante o expediente. Talvez Martin (Mads Mikkelsen) tenha o melhor resultado com a birita. De professor criticado pelos alunos pela apatia, ele vira um mestre empolgado nas aulas e, em casa, retoma o relacionamento, já cambaleado, com os filhos e a esposa. Vinterberg não se atém a julgamentos morais — vide a belíssima cena da celebração com os estudantes ao desfecho. Da cerveja ao vinho, passando pelos destilados, a bebida é vista num leque variado e, por tabela, trazendo boas e más consequências. Cabe ao espectador refletir sobre qual é seu limite.

Entre Druk e A Caça, não tenho dúvida. Acho A Caça um filme mais conciso e contundente. A Comunidade também tem seu valor e traz humor mais acertado, algo que em Druk me deixou desconfortável (sobretudo a cena no supermercado para a compra do bacalhau).

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

A Caça > Além da soberba atuação de Mads Mikkelsen (também presente em Druk), o drama é um registro incisivo e sem concessões. Ele interpreta o professor de uma escolinha infantil, divorciado, pai de um adolescente e querido pelas crianças. Sua vida, porém, sofre um revés quando a pequena filha de um amigo insinua ter tido brincadeiras íntimas com ele. Seria um caso de pedofilia? Disponível no Amazon Prime Video.

Continua após a publicidade

A Comunidade > Em 2016, Vinterberg comprovou novamente seu talento para dissecar conflitos entre quatro paredes. No drama de tintas amenas e folhetinescas, envolve com uma trama ambientada nos anos 70. Erik e Anna, interpretados por Ulrich Thomsen e Trine Dyrholm, decidem espantar o tédio do casamento com uma proposta inusitada e “moderna”: convidar amigos para morar com eles em um casarão de Copenhague. Disponível no Globoplay e Telecine Play.

Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.