Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Após união de 67 anos, casal morre com cinco horas de diferença, de mãos dadas

Histórias de amor que duram muitas décadas têm um lado feliz e comovente, já que não são muitos os casais que encontram a fórmula para uma convivência agradável por muito tempo. Mas também carregam uma sensação de aflição – com a chegada da velhice, o medo da morte fica cada vez mais assustador. Como viver longe […]

Por VEJASP Atualizado em 26 fev 2017, 18h30 - Publicado em 26 fev 2015, 12h31

casalvelhinhos

Histórias de amor que duram muitas décadas têm um lado feliz e comovente, já que não são muitos os casais que encontram a fórmula para uma convivência agradável por muito tempo. Mas também carregam uma sensação de aflição – com a chegada da velhice, o medo da morte fica cada vez mais assustador. Como viver longe daquela pessoa que você tanto ama? Essa pergunta certamente foi feita pelos americanos Floyd e Violet.

+ Noivo lê votos para filha da noiva e emociona convidados

No dia 11 de fevereiro, Floyd morreu aos 90 anos. Cinco horas depois, foi a vez de Violet, 89. Eles estavam acompanhados pela família, que aceitou realizar um desejo da dupla: que eles morressem de mãos dadas. Assim eles ficaram, deitados em macas posicionadas uma ao lado da outra.

Nos últimos anos de vida, Violet lutava contra o avanço da demência. Floyd cuidou dela. Mas, em janeiro, ele foi diagnosticado com um tumor no fígado e descobriu que teria apenas duas semanas de vida. “A conexão entre eles ficou ainda mais forte”, contou a filha Donna Scharton. “Nós sabíamos que este era o desejo deles”, disse Donna, sobre o fato de os pais terem morrido praticamente juntos.

Continua após a publicidade

velhinhos

Floyd e Violent se conheciam desde os tempos de colégio, mas começaram a namorar na II Guerra, quando ele servia na Marinha. Durante um baile, eles perceberam que tinham muito em comum. O problema foi que Floyd teve que ir à guerra e, de 1946 a 1948, eles só conseguiam se comunicar por cartas. Foram mais de cem. Na volta, eles se casaram, tiveram três filhos e passaram a morar em um rancho na Califórnia.

Uma reportagem exibida nos Estados Unidos conta a história do casal. Assista:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=PdYxS2Kyx5Q?feature=oembed&w=500&h=281%5D

Emocionante, não? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa fanpage no Facebook.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês