Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Na Plateia Indicações do que assistir no teatro (musicais, comédia, dança etc.)

Umberto Magnani por Elias Andreato: “Meu caipira adorável”

Minha alma caipira, como a Ci, personagem do livro “Macunaíma”, agora virou estrelinha e vive lá no céu. Agora, ele é liberto, passeando todo enfeitado de luz, virado numa verdadeira estrela. Falo assim do grande ator Umberto Magnani porque sempre o admirei e o conheci bem. Umberto foi meu pai no espetáculo “Lua de Cetim”, […]

Por Dirceu Alves Jr. Atualizado em 26 fev 2017, 12h15 - Publicado em 27 abr 2016, 15h41
Umberto Magnani na novela "Velho Chico": atore morreu nesta quarta

Umberto Magnani em cena da novela “Velho Chico”: o ator morreu nesta quarta (27)

Minha alma caipira, como a Ci, personagem do livro “Macunaíma”, agora virou estrelinha e vive lá no céu. Agora, ele é liberto, passeando todo enfeitado de luz, virado numa verdadeira estrela. Falo assim do grande ator Umberto Magnani porque sempre o admirei e o conheci bem. Umberto foi meu pai no espetáculo “Lua de Cetim”, escrito por Alcides Nogueira e dirigido por Marcio Aurelio em 1981, lá ainda no começo da minha carreira de ator. Denise Del Vecchio fazia minha mãe. Cada vez que pisava no palco, eu via o meu pai do teatro tão semelhante ao meu pai da vida real, o Zé Vicente. Eram os mesmos olhos azuis, a mesma alma delicada e poética, a mesma humanidade. Aquilo me emocionava a cada noite, mais que qualquer coisa.

"Lua de Cetim": Denise Del Vecchio e Umberto Magnani na peça de Alcides Nogueira (Foto: Iolanda Huzak)

“Lua de Cetim”: Denise Del Vecchio e Umberto Magnani na peça de Alcides Nogueira (Foto: Iolanda Huzak)

Graças ao trabalho de Umberto naquela peça, eu aprendi a ver a fragilidade do meu pai real e a entender toda a dificuldade da minha infância na convivência com um pai alcoólatra. Sim, os dois bebiam, o pai da peça e o da vida. Através da construção de Umberto para o personagem, eu pude amar e odiar meu pai no sentido mais profundo que a psicanálise pode me levar e transformar em arte a minha dor.

+ Umberto Magnani morre aos 75 anos.

Durante os anos seguintes, o Umberto estava lá em outros palcos e telas, nos encontrávamos por aí e o afeto sempre vivo. O tempo passou, mais de três décadas, na verdade, e eu reencontrei Umberto no espetáculo “Elza e Fred – O Amor Não Tem Idade”, em 2014. Eu pude dirigi-lo e retribuir o seu talento e a sua bondade. Ele sempre me trazia uma garrafa de mel de Santa Cruz do Rio Pardo de presente. Como se o presente não fosse ele.

Continua após a publicidade

Meu caipira adorável, quanta delicadeza e doçura sempre estiveram presentes no seu coração. Quero guardar o amor e o delicioso humor que sempre nos contagiou… Vou ficar muito triste, mas, quando a dor for insuportável, eu vou lamber um pouco de mel de laranjeira para lembrar o sabiá cantando feliz no sertão da minha terra.

+ Elias Andreato, 61 anos, é ator e diretor.

Suely Franco e Umberto Magnani: comédia "Elza e Fred" direção de Elias Andreato (Foto: Guga Melgar)

Suely Franco e Umberto Magnani: comédia “Elza e Fred” direção de Elias Andreato (Foto: Guga Melgar)

Quer saber mais sobre teatro? Clique aqui.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês