Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Na Plateia Tudo sobre teatro

Andréa Beltrão e “Jacinta”, as piores atrizes do mundo

Tenho raras respostas na ponta da língua quando alguém me pergunta quem é o pior ou o melhor em alguma coisa. Gosto de tantas coisas e de tanta gente. Uma das poucas que tasco na hora é a de que Andréa Beltrão é a melhor atriz de sua geração. Aquela turma definida como a que […]

Por Dirceu Alves Jr. Atualizado em 27 fev 2017, 11h52 - Publicado em 13 nov 2012, 16h22

Andréa reeencontra o dramaturgo Newton Moreno e o diretor Aderbal Freire-Filho na comédia musical “Jacinta” (Foto: Nil Caniné)

Tenho raras respostas na ponta da língua quando alguém me pergunta quem é o pior ou o melhor em alguma coisa. Gosto de tantas coisas e de tanta gente. Uma das poucas que tasco na hora é a de que Andréa Beltrão é a melhor atriz de sua geração. Aquela turma definida como a que beira os 40 e está, no máximo, com 52 anos, entendem? Então, pois ela mesma, Andréa, de 49, tem um desafio bem curioso pela frente. Ela vai interpretar a partir da quinta (15) “a pior atriz do mundo” na comédia musical “Jacinta”. A peça entra em cartaz no Teatro Poeira, no Rio de Janeiro.
O texto leva a assinatura de Newton Moreno, que está nos palcos de São Paulo com a comédia “Maria do Caritó” e com o drama “Terra de Santo” e já criou “As Centenárias” (2007) para Andréa brilhar ao lado de Marieta Severo.
Sob a direção cênica de Aderbal Freire-Filho e musical de Branco Mello, a trama começa com a primeira experiência cênica de Jacinta, em pleno século XVI. Amante do teatro, a rainha de Portugal se espanta de tal forma com a desastrosa interpretação da moça que perde o ar e morre, não sem antes decretar o mesmo fim para a artista incompetente. A pena é transformada em exílio no Brasil, claro… Jacinta já chega por aqui com a terrível fama, realizando na então colônia uma aventura em busca do aplauso. O elenco ainda conta com Augusto Madeira, Gillray Coutinho, Isio Ghelman, José Mauro Brant e Rodrigo França, além de quatro músicos.
Como Marieta e Andréa são donas do Poeira, a peça deverá ter longa temporada por lá. São Paulo provavelmente vai esperar pelo menos um ano. Mas estamos às vésperas de um feriado e tudo isso fica a cerca de uma hora de São Paulo, não é? Basta pegar um avião e torcer para que tudo dê certo, que o vôo saia na hora e por aí vai…

Publicidade