Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Cine Vejinha Por Blog Tudo sobre cinema, estreias e os melhores filmes

Festival de Cannes: 12 curiosidades sobre a maior festa do cinema

Na quarta (16), começa a  65ª edição do já tradicional Festival de Cannes, o mais prestigiado evento de cinema do mundo, onde grandes produções são exibidas em concorridas avant-premières. + Os melhores filmes em cartaz; salas e horários Entre os destaques deste ano está a homenagem ao cinema brasileiro, com Cacá Diegues à frente do […]

Por VEJASP Atualizado em 27 fev 2017, 12h30 - Publicado em 10 Maio 2012, 19h32

Kristen Stewart em “On the Road”, de Walter Salles: presença brasileira em Cannes

Na quarta (16), começa a  65ª edição do já tradicional Festival de Cannes, o mais prestigiado evento de cinema do mundo, onde grandes produções são exibidas em concorridas avant-premières.

+ Os melhores filmes em cartaz; salas e horários

Entre os destaques deste ano está a homenagem ao cinema brasileiro, com Cacá Diegues à frente do júri da sessão Câmera de Ouro, e Karim Aïnöuz no júri da mostra competitiva. Serão exibidos o documentário “A Música Segundo Tom Jobim”, de Nelson Pereira dos Santos e a nova produção de Walter Salles, “On the Road”,  que concorre à Palma de Ouro. A brasileira Juliana Rojas, que exibiu com Marco Dutra o elogiado “Trabalhar Cansa”, no ano passado, retorna ao festival com o curta “O Duplo”.

Confira abaixo  12 curiosidades sobre o Festival de Cannes.

1. O festival foi criado em 1946 pelo ministro Jean Zay, que havia se horrorizado com a ingerência dos governos fascistas italiano e alemão no Festival de Veneza.  A primeira edição da festa deveria ter ocorrido ainda em 1939, com presidência de Louis Lumière, considerado um dos pais do cinema, mas foi cancelada devido ao estouro da Segunda Guerra.

2. As primeiras edições do festival, embora luxuosas, sofriam com a falta de verba. Entre 1948 e 1950 a festa não aconteceu e até 1955 não havia recursos para dar um troféu aos vencedores. Em 1955 foi introduzido pelo comitê organizador a Palma de Ouro como prêmio principal. Antes, o prêmio tinha o nome de Grand Prix du Festival international du Film.

3. O primeiro filme vencedor da Palma de Ouro foi “Marty” de Delbert Mann. Até hoje, este é o único filme a ganhar a Palma de Ouro e o Oscar de Melhor Filme num mesmo ano.

Continua após a publicidade

4. O polêmico  “Hiroshima, Mon Amour”, de Alain Resnais, foi censurado pela curadoria do Festival em 1959, onde se redimiu, ganhando o prêmio da crítica. Aquele ano foi bom também para Truffaut, que ganhou o prêmio de direção por “Os Incompreendidos”.

5. O festival de 1968 não chegou até o fim. Um grupo de cineastas, entre eles François Truffaut, Roman Polanski, Claude Lelouch e Louis Malle pediram a interrupção de todas as projeções em solidariedade aos operários e estudantes em greve. Eles pediam também que os filmes fossem enviados a Paris para exibições gratuitas. As salas de exibição do Festival, em seguida, foram tomadas por trabalhadores da indústria cinematográfica. Naquele ano não houve premiação.

6. A única cineasta mulher a vencer a Palma de Ouro foi Jane Campion, por “O Piano”, de 1993.

7. O design usado hoje para o prêmio, com um ramo dourado, foi desenhado por Thierry de Bourqueney em 1997. O troféu já havia passado por uma formulação cinco anos antes. O design original é de Lucienne Lazon.

8. A Palma de Ouro é composta de uma pirâmide de cristal e a palma é fabricada em ouro 24 quilates.

9. Francis Ford Coppola (“Apocalipse Now” e “A Conversação”), Shoei Imamura (“Chuva Negra”  e a “Balada de Narayama”), Bille August (“Pelle, o Conquistador” e “As Melhores Intenções”), Emir Kusturica (“Zavet” e “Underground”), e os irmãos Luc e Jean-Pierre Dardenne (“A Criança” e “O Filho”) são os únicos cineastas que ganharam a Palma de Ouro duas vezes até hoje.

10. Entre os brasileiros premiados em Cannes estão as atrizes Fernanda Torres e Sandra Corveloni, por “Eu Sei que Vou te Amar”, de 1986, e “Linha de Passe”, de 2008, respectivamente.

11. Glauber Rocha já foi premiado por três filmes: “Terra em Transe” (1967) “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro” (1969), e o curta “Di Cavalcanti” (1977). Até hoje, o único filme brasileiro a vencer a Palma de Ouro foi “O Pagador de Promessas” (1962), de Anselmo Duarte.

12. Em 2011 o dinamarquês Lars von Trier foi considerado persona non grata e expulso do festival, embora seu “Melancolia” tenha sido elogiado pelo júri. O cineasta foi acusado de fazer comentários simpáticos ao nazismo.

Continua após a publicidade

Publicidade