Imagem Blog

Bob Fonseca - Cerveja na Mesa

Por Blog
Continua após publicidade

Cerveja de trigo: um clássico da Baviera

Se as cervejas “tipo Pilsen” – tecnicamente, Standard Lagers e, no dia a dia, “louras geladas” – são as mais consumidas no planeta, é possível dizer com tranquilidade que as cervejas de trigo, ou Weissbiers, estão entre as favoritas na Alemanha – na região da Baviera, são um clássico, ainda mais se acompanhadas de pretzel, […]

Por Tiago Faria Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 26 fev 2017, 22h35 - Publicado em 7 mar 2014, 21h13

mood_weissbier_natur

Se as cervejas “tipo Pilsen” – tecnicamente, Standard Lagers e, no dia a dia, “louras geladas” – são as mais consumidas no planeta, é possível dizer com tranquilidade que as cervejas de trigo, ou Weissbiers, estão entre as favoritas na Alemanha – na região da Baviera, são um clássico, ainda mais se acompanhadas de pretzel, weisswurst (ou salsichas brancas de vitela) e mostarda doce alemã. No Brasil, o crescimento do número de microcervejarias também levou ao aumento considerável do estilo – que se tornou uma espécie de segunda opção automática dos pequenos produtores.

Como o nome sugere, as Weissbiers levam, além do malte de cevada, malte de trigo na composição, em diferentes proporções, de acordo com o país e o produtor. Na Alemanha, por exemplo, é preciso utilizar um mínimo de 50% de malte de trigo, embora muitas cervejarias optem por 60% ou até 70%. Embora as origens do estilo remontem aos Séculos 12 e 13, a Schneider Weisse, produzida pela cervejaria homônima da Baviera, criada em 1872, é considerada a “mãe” das versões modernas do estilo. Provei recentemente uma garrafa da marca que já estava próxima do vencimento, e me fez lembrar de um conselho importante para dar: assim como as Pilsners da Alemanha e da Boêmia, quanto mais frescas as Weissbiers, mais interessantes estarão.

Apesar da popularização do estilo, existem “mitos” e dúvidas sobre a cerveja de trigo ouvidos  ainda hoje. Eis alguns deles:

Continua após a publicidade

1)      A cerveja de trigo leva banana na receita?

Não. Apesar de o estilo prever aroma e sabor bem presentes da fruta, essas características vêm da levedura (o fermento), assim como, por exemplo, as notas de cravo.

2)      Por que a cerveja de trigo costuma ser turva?

Isso ocorre porque há a presença de levedura na garrafa (geralmente, nas marcas alemãs, ela é indicada pelo nome Hefe antecedendo o Weissbier). Quando isso ocorre, deve se deixar dois dedos de líquido no fundo do vasilhame, agitar o conteúdo e servir no copo, para que esse fermento se desprenda do fundo da garrafa. Os copos de Weissbier têm uma marcação de onde deve terminar o líquido e começar a espuma na parte superior. Fazer o serviço corretamente é um desafio, ainda mais deixando uma “touca” de espuma firme que cresça acima da borda. Quando a cerveja de trigo recebe a denominação Kristall, ela passou por filtração para a retirada desse fermento.

3)      Por que o copo da cerveja de trigo é maior?

O copo de Weissbier tem o tamanho exato para acomodar o líquido (geralmente 500ml) e a espuma densa e de boa formação, essencial ao estilo. Mas também há copos para Weiss no tamanho apropriado para o volume de long necks.

Continua após a publicidade

4)      Cerveja de trigo estufa?

A Weissbier tem, de fato, uma concentração maior de gás carbônico, o que tende a refrescar – junto com a acidez -, mas também pode dar uma sensação de satisfação mais rapidamente. Quando tomo uma representante do estilo, costumo me limitar a uma garrafa de 500 ml, mas creio que cada um tem sua medida própria. De todo modo, sempre achei que uma boa cerveja, em quantidade comedida, pode satisfazer muito mais do que uma mediana ou ruim em larga quantidade.

5)      Quantos tipos de cerveja de trigo alemã existem?

Além da Hefe Weissbier e da Kristall, já mencionadas, existem também a Dunkel Weizen, feita com maltes escuros e na mesma faixa de teor alcoólico das Hefe Weissbiers (de 4,5% a 5,5%, em média), e as Weizenbocks, que podem ser claras ou escuras, mas possuem uma potência alcoólica maior (acima de 6,5%) e uma presença de malte e adocicado mais acentuada.

Para alegrar a sexta-feira chuvosa, eis algumas dicas do estilo e onde encontrá-las:

Dama Summer Lady (600ml): R$ 13,50 no Almada’s Beer Store (3647-8441)

Continua após a publicidade

Bamberg Weizen (600ml): R$ 13,20 na Bamberg Express Perdizes (3672-4443)

Paulaner Hefe Weissbier (500ml): R$ 16 no Empório Alto dos Pinheiros (3032-5514)

Weihenstephan Hefe Weissbier (500ml): R$ 15 no Almada’s Beer Store

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.