Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
CASACOR Tendências de decoração, arquitetura, design e paisagismo com curadoria

Airbnb no Copan? Saiba como se hospedar em um dos ícones modernistas de SP

São mais de 30 opções de apartamentos para se hospedar no famoso edifício modernista de 1966 que leva a assinatura de ninguém menos que Oscar Niemeyer

Por Yeska Coelho/CASACOR Atualizado em 1 ago 2022, 12h01 - Publicado em 4 ago 2022, 10h00
Edifício Copan
Divulgação/Veja SP

O Copan é um dos mais importantes prédios de São Paulo. Ele foi projetado por Oscar Niemeyer em 1966 (ano de inauguração) e se tornou um verdadeiro marco modernista da cidade. Localizado no Centro Histórico, o edifício é voltado tanto para serviços (lojas, restaurantes, bares…) como para moradia. O que poucas pessoas sabem é que é possível se hospedar pelo Airbnb em alguns de seus apartamentos.

As moradias temporárias têm ganhado força, especialmente nos últimos anos, e os Airbnbs no Copan são bastante procurados principalmente pela experiência de frequentar o edifício devido a sua importância, mas também pela localização privilegiada.

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

O projeto batizado como “Airbnb no Copan” começou em 2009, quando Judson Sales se mudou para um apartamento de 28 m² no icônico edifício. “Depois de um tempo saí de lá porque o apartamento estava muito pequeno para mim, e quis buscar uma forma de fazer um renda extra com ele”, comenta.

Oportunidade na crise

 

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Em 2014, uma crise econômica assolou o país e muitos brasileiros passaram por dificuldades em fechar acordos durante aquele ano. Esse problema se refletiu nos proprietários de imóveis do Copan, que não conseguiam alugar seus apartamentos vagos.

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Judson contou que já estava anunciando o seu espaço pelo Airbnb na época, e que ficou feliz com os resultados financeiros obtidos. Um grande fluxo de estrangeiros tinha interesse em ficar no Copan, o que fez com que o seu apartamento fosse bastante disputado. Ao mesmo tempo, tinha muito imóvel vazio no prédio – de gente que não conseguia alugar o espaço como moradia. “Eu busquei alguns proprietários e me ofereci para decorar, arrumar do meu jeito e sublocar pelo Airbnb”, contou.

View this post on Instagram

A post shared by Airbnb no Copan (@airbnbnocopan)

O boca a boca foi fundamental para que o projeto de residência temporária se expandisse. Outros moradores buscaram posteriormente o Judson para fazer o trabalho de sublocar os espaços, e ele está nessa desde então. Atualmente, o Instagram do projeto @airbnbnocopan conta com mais de 35 mil seguidores, e hoje, o organizador trabalha com um time de três pessoas no atendimento e duas na limpeza para ajudá-lo a dar conta de tudo – quando a demanda aumenta, ele contrata mais gente temporariamente.

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Para Judson, o negócio deu certo e se tornou atrativo para os proprietários porque “ao contrário de uma locação normal em que, muitas vezes, o inquilino vai devolver [o apartamento] em um estado não muito legal, eu, que tenho vários hóspedes chegando, preciso manter o local em boas condições. Eles sabem que o imóvel vai estar sempre conservado”, contou.

Ele complementa explicando que tem proprietários que participam mais ativamente do projeto e que, inclusive, escolhem o estilo da decoração e muitas vezes entregam o apartamento pronto para ser anunciado no Airbnb.

Quem aluga Airbnb no Copan?

 

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Se no começo o fluxo de estrangeiros era muito forte para disputar a hospedagem de Judson, esse cenário mudou cerca de 10 anos depois. “Isso foi se transformando aos poucos e passamos a ter mais turistas nacionais”, disse.

Continua após a publicidade

A partir de 2019, o organizador do projeto conta que a onda de influenciadores digitais gerou um movimento de “turismo dentro da própria cidade“.  Tornou-se mais comum enxergar a hospedagem não como um acessório de viagem, mas uma experiência que pode ser vivida mesmo a poucos quilômetros (ou quem sabe metros?) da onde a pessoa mora. Judson destaca que o boom dessa modalidade aconteceu na pandemia com as pessoas sendo impedidas de viajar e buscando experiências próximas de suas casas.

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

“As pessoas vinham para explorar o Copan e o entorno do Centro. A nossa estratégia hoje é atrair hóspedes que são de São Paulo e querem desbravar a região”, explica. Os paulistas correspondem hoje a 70% dos clientes do projeto.

Tudo o que o paulista quer

 

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Há cerca de um ano e meio, Judson decidiu que era hora de trazer mais uma peça fundamental para o seu projeto: um profissional da arquitetura para tornar os projetos do Airbnb mais personalizados. Foi assim que os caminhos da arquiteta Zaira Gon, do organizador e do Copan se cruzaram.

Nascida em Paraty, formada em Taubaté, Zaira teve a chance de morar na grande metrópole há cinco anos, e confessou que o estilo de vida paulistano não a agradava: “eu acordava, pegava transporte público, ficava o dia todo em uma salinha fazendo projetos. Não era isso o que eu queria”, contou.

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Moradora da Santa Cecília, Zaira foi uma das tantas pessoas de São Paulo que alugou um espaço temporário no Copan por curiosidade. Ela havia anunciado em um grupo do Facebook do bairro que era arquiteta para oferecer trabalhos de consultoria. Foi quando o Judson viu o post, associou com a pessoa que estava hospedada e sugeriu a parceria. “Eu nunca imaginei que isso poderia acontecer. Eu sai de Paraty, quando que eu imaginaria chegar no Copan?”, desabafa a arquiteta.

Espaços instagramáveis

 

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Zaira e Judson fizeram uma pesquisa intensa para entender o que as pessoas esperava quando se hospedavam em um Airbnb no Copan. A resposta foi simples, objetiva e muito verdadeira: elas querem um espaço bonito.

Diferente de quando se viaja para uma praia ou casa de campo, ao se hospedar no Centro Histórico de São Paulo há duas coisas que as pessoas esperam: poder desfrutar da maravilhosa vista que o prédio possui e também contar com um espaço que as acolha e permita boas fotografias.

“Conforto é algo que sem dúvidas as pessoas querem. Coisas tecnológicas que não encontram nas próprias casas como um telão no lugar da televisão, uma banheira… Entre outros elementos, como se fosse um hotel mesmo”, explica Zaira.

View this post on Instagram

A post shared by Airbnb no Copan (@airbnbnocopan)

A arquiteta contou que o que mais gosta ao pegar os projetos do Copan é fazer desde o primeiro esboço até a parte de produção, de deixar o espaço pronto para o visitante chegar. “Eu consegui criar a minha linguagem, e os meus clientes gostam do meu estilo. Eu sou realizada porque eu amo o que eu faço e porque as pessoas me escolhem por isso”.

Projeto Airbnb no Copan
Projeto: @zairagon. Divulgação/Veja SP

Atualmente, são mais de 34 Airbnbs no Copan que Judson coordena, desses, ao menos dez tiveram o projeto assinado pela arquiteta Zaira Gon. Os valores variam de R$ 120 a R$ 440 a diária. A boa notícia é que tem espaços decorados para todos os gostos – do minimalista ao industrial, do colorido ao monocromático. Para conferir as hospedagem, clique aqui!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês