Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Quem está por trás de meme de Bolsonaro visto em panelaços

Conheça a autoria do trabalho que viralizou e apareceu na publicação inglesa The Economist

Por Tatiane de Assis Atualizado em 28 mar 2020, 15h46 - Publicado em 28 mar 2020, 10h47

Um grupo com mais de 100 participantes, que se autodenomina @projetemos, é o responsável pela difusão de projeções em prédios nas cinco regiões do país, incluindo Distrito Federal.

View this post on Instagram

A post shared by Projetemos (@projetemos) on

Com o crescimento do projeto, muitas pessoas contactam o coletivo pelo Instagram para saber como podem fazer projeções. Independente da potência do equipamento e sua eficácia, os artistas afirmam que o importante é passar a mensagem e replicá-la nas redes sociais.

Assine a Vejinha por 19,90 mensais.

View this post on Instagram

A post shared by Projetemos (@projetemos) on

O núcleo duro do grupo faz projeções diárias pelo país. De acordo com a cidade onde os artistas estão e o horário em que o sol se põe, a exibição de imagens pode começar às 18h, 19h, ou 20h. Para que mais pessoas se juntem ao movimento, foi lançado um site: www.projetemos.com.br, onde anônimos podem criar sua mensagem. Ao plugar um projetor ao computador, frases e palavras podem ganhar muros ou empenas de prédios. Nas redes sociais, é possível conferir tutoriais com o passo a passo para as ações.

Assine a Vejinha por 19,90 mensais.

View this post on Instagram

#projetemos #forabolsonaro #Barulhaço #panelaço #BolsonaroAcabou #AcabouBolsonaro #VivaoSus #coronavirus #corona #sus #defendamosus #brasilia #bolsonaro

A post shared by Projetemos (@projetemos) on

MEME COM FOTO DE BOLSONARO

Uma foto de entrevista do presidente Jair Bolsonaro, com uma máscara hospitalar, datada de 18 de março, foi usada em uma das projeções, vista na cidade de São Paulo acompanhada pelas frases “Arrependei-vos”, “Eu vou para o tudo ou nada kkk” e “Foda-se a galera kkk.”

View this post on Instagram

#projetemos #forabolsonaro #Barulhaço #panelaço #BolsonaroAcabou #AcabouBolsonaro #VivaoSus #coronavirus #corona #sus #DefendamOSUS #covid_19 #rendabasicajá #rendabasica

A post shared by Projetemos (@projetemos) on

Com formato parecido com meme, o trabalho viralizou e apareceu na publicação inglesa The Economist. Como o grupo funciona de forma colaborativa, a composição já foi repassada aos demais membros, que podem modificá-las. Esse tipo de procedimento é de praxe com o conteúdo criado no coletivo.

Continua após a publicidade

Publicidade