Clique e assine por apenas 6,90/mês

Vereadores aprovam nome de Marisa Letícia para viaduto da capital

Mudança depende agora da aprovação do prefeito João Doria (PSDB), mas pode ser vetada por outro projeto de lei

Por Thaís Oliveira - Atualizado em 13 dez 2017, 15h52 - Publicado em 13 dez 2017, 15h49

A Câmara Municipal dos Vereadores aprovou na segunda (11) um projeto de lei (PL) que batiza com o nome da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, morta em fevereiro deste ano, um viaduto no extremo-sul da capital.

Parado há nove meses, o projeto foi aprovado de forma simbólica (sem votação nominal) depois de uma mudança geográfica costurada pelo presidente Milton Leite (DEM). O texto original do vereador Paulo Reis (PT) previa que a homenagem acontecesse na Chácara Santo Antônio, bairro nobre da Zona Sul. O nome batizaria um prolongamento da Avenida Chucri Zaidan. Houve protestos de moradores do bairro nas redes sociais.

Agora, será de um viaduto na região do M’Boi Mirim, próximo à Avenida Luiz Gushiken – outro nome ligado ao PT, ex-deputado morto em 2013.

Polêmica

Continua após a publicidade

A mudança depende agora da aprovação do prefeito João Doria (PSDB), mas pode ser vetada por outro projeto de lei. Na terça (12), a Câmara aprovou um texto que proíbe que pessoas ‘condenadas por crimes contra a administração pública’ possam receber a homenagem.

O PL vale também para réus que tenham morrido durante o processo, caso de Marisa Letícia. A ex-primeira dama respondia em um processo relativo a um o tríplex no Guarujá, imóvel que a justiça atribuiu a Lula como fruto de propina paga pela OAS.

Autor da proposta, o vereador Rinaldi Digilio (PRB) diz que o objetivo é “evitar a subjetividade” e impedir que políticos envolvidos na Lava Jato venham eventualmente a batizar logradouros públicos. O texto passará por mais uma votação antes de ser enviado para aprovação do prefeito João Doria (PSDB).

Publicidade