A honestidade desse ambulante senegalês surpreendeu uma cliente na praia

A história dos dois viralizou e tem mais de 87 000 compartilhamentos no Facebook

No último domingo (1º), a assistente administrativa carioca Juliana Figueiredo, de 27 anos, foi à praia curtir o clima ameno do Rio de Janeiro. Por lá, encontrou o vendedor ambulante senegalês Moussa. Contada no Facebook, a história entre os dois está rodando a internet e já contabiliza 87 000 compartilhamentos e 28 000 comentários. “Não esperava a repercussão desta forma, mas espero que seja positiva para Moussa“, disse Juliana em entrevista a VEJA SÃO PAULO.

A moça conta que viu o vendedor oferecendo óculos escuros na areia e decidiu comprar. O produto custava 35 reais. Pagou com o cartão de débito e preferiu não pegar a segunda via do recibo. Para sua surpresa, alguns minutos depois, o ambulante voltou correndo, gritando para a cliente: “Vender óculos, 350 reais“. “Não entendi o que ele estava querendo dizer. Pensei que ele tivesse vendido um óculos por 350 reais. Ainda brinquei que tinha ganhado o dia“, lembra Juliana.

Moussa pediu que ela aguardasse um pouco, pois ele voltaria para encontrá-la. O estrangeiro retornou com um amigo que falava melhor o português e disse que era ela quem tinha desembolsado os 350 reais, sem querer. “Fiquei impressionada porque os dois já chegaram pedindo muitas desculpas, dizendo que não tinha sido por mal. Estava muito tranquila, porque me passou verdade“, explica.

Como o sistema da máquina de cartões só faria a transferência no dia seguinte, trocaram telefones e continuaram conversando. “Ele me atendeu todas as vezes em que liguei“, lembra. Juliana reparou na foto do aplicativo de mensagens e deduziu que Moussa tivesse um filho. Por isso, levou um carrinho de brinquedo de presente para a criança em outro encontro com o vendedor. “O sorriso que ele me deu mudou meu dia.” Agora, o desafio da moça é ajudá-lo a encontrar um emprego.

O rapaz mora há três anos no Rio de Janeiro com um amigo. Deixou a mulher e o filho, agora com 6 anos, no Senegal. Seu objetivo é conseguir um emprego para poder ver novamente a família em seu país. “Com os compartilhamentos e repercussão, muita gente está me pedindo o contato dele para ajudar“, comemora Juliana.

Ela conta que Moussa ficou surpreso por ter virado notícia. “Ele me contou que no Senegal eles são educados a não pegar o que não pertence a eles, são ensinados desde sempre sobre honestidade“, diz.

Confira abaixo o relato:

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Rodrigo Oliveira

    Ele devolveu o dinheiro pois sabe que a moça iria cancelar a compra mais tarde e nem os 35 ele ganharia. Honesto ele não é pois não tem licença de ambulante. Esta reportagem contém lavagem cerebral.