Clique e assine por apenas 6,90/mês

Última ciclovia feita na gestão de Haddad fica na Zona Oeste

O trecho na Avenida Marquês de São Vicente não deve ser finalizado até 31 de dezembro, último dia da atual gestão

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 29 Dec 2016, 11h49 - Publicado em 29 Dec 2016, 10h56

Faltando apenas uma semana para o fim do mandato de Fernando Haddad (PT), foi aberta a última ciclovia projetada pela gestão comandou a pintura de cerca de 400 quilômetros de faixas vermelhas pela cidade.  O trecho meio estreito e esburacado fica na avenida pela Avenida Marquês de São Vicente, Zona Oeste da capital. A Prefeitura continuava na última quarta (28) sinalizando novas ciclovias, deixando as últimas marcas do que provavelmente foi a maior bandeira da administração petista; a política de ampliação não deverá ter continuidade sob a gestão do prefeito eleito João Doria (PSDB).

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o trecho 2 da ciclofaixa da Marquês de São Vicente é o último que será implementado por Haddad, apesar de provavelmente não ser concluído até o dia 31, seu último dia no cargo. Estão sendo pintados mais 2,3 quilômetros de faixas na avenida entre a Praça Luís Carlos Mesquita e a Avenida Dr. Abraão Ribeiro; na Rua Norma, sua continuação, a partir desse ponto até a Rua dos Americanos e em ruas adjacentes.

Haddad tinha como meta implementar 400 km de vias até o fim deste ano, o que foi alcançado, mas não sem polêmicas. Até o trecho novo da Marquês não passou incólume. Os ciclistas Victor e Carla Garcia, de 58 e 47 anos, que passeavam pela via, criticaram sua largura. “Os carros deveriam manter 1,5 metro de distância, mas essa faixa ficou muito estreita”, disse Victor. De acordo com a CET, o trecho ainda não foi finalizado.

 

Publicidade