Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Trigêmeos que perderam mãe, avó e tia para Covid-19 recebem doações

Pai das crianças havia morrido de acidente meses antes; o tio dos órfãos tenta conseguir a guarda dos meninos na Justiça

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 5 abr 2021, 19h04 - Publicado em 5 abr 2021, 19h03

O vendedor Douglas Junior Faria Amaral, 26, responsabilizou-se por cuidar dos trigêmeos que perderam o pai em um acidente de trânsito e a mãe, a avó e a tia para a Covid-19. Ana Paula, Karina e Valentina, de Parisi, interior de SP, morreram com diferença de 8 dias.

Pessoas que se sensibilizaram com a histórias das crianças ofereceram ajuda e doações. “Recebemos muitas doações de alimentos. Ganhamos tijolos, azulejos, pia e materiais para usarmos na construção do quarto e do banheiro dos meninos. Pedreiros e eletricistas se ofereceram para trabalhar de graça, um arquiteto também vai fazer o projeto sem cobrar nada. Além disso, um site está fazendo uma vaquinha online”, conta Douglas.

Os trigêmeos se chamam Pedro, Paulo e Felipe, e ficaram órfãos aos 5 anos. Douglas e a esposa, Luana Amaral, entraram com o processo pela guarda dos meninos na Justiça. Os dois também são pais de uma menina de 1 ano e 7 meses. “Recebi até uma ligação de um morador dos Estados Unidos. Ele viu a reportagem no G1, entrou em contato conosco e nos enviou uma ajuda. Olha onde a história chegou, é uma coisa surreal. Ficamos muito felizes em sentir todo esse amor. O ser humano é muito bom. Precisamos acreditar nisso”, completa.

  • +Assine a Vejinha a partir de 6,90

    Continua após a publicidade
    Publicidade