Clique e assine por apenas 6,90/mês

“Nada justifica tiro pelas costas”, diz Doria sobre PM preso

Governador falou sobre episódio ocorrido no final de semana; vídeo mostra policial perseguindo e disparando contra suspeito

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 27 Jul 2020, 18h02 - Publicado em 27 Jul 2020, 18h01

Um homem morreu na capital paulista após ser atingido por um tiro nas costas na madrugada de sábado (25). O rapaz, suspeito de roubar uma motocicleta, faleceu no Hospital Tide Setúbal depois de ser baleado por um policial militar.

Um vídeo mostra o homem sendo rendido por um PM. Enquanto ele descia do veículo, o policial dispara e ele vai ao chão. Durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira, o governador João Doria foi questionado sobre o episódio e o Programa Retreinar, anunciado em junho após uma sequência de episódios de violência policial no estado.

“Tenho a dizer que este PM foi preso. Indiciado pela Polícia Civil e preso. As informações do vídeo são suficientes para colocá-lo em uma condição de acusado criminalmente de assassinato”, disse Doria, após questionamento da jornalista Eduarda Esteves, do iG. “Não havia necessidade daquele policial agir daquela maneira, independente daquele rapaz ter furtado uma motocicleta. Nada justifica um tiro pelas costas”, afirmou o tucano.

“Sobre o programa Retreinar, praticamente 70 000 policiais já foram retreinados de toda a força da PM no estado de SP e até o final dessa semana 100% dos policias militares estarão retreinados em SP”.

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade