Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Sogro é suspeito de furtar bens de nora durante o enterro dela

Érica Fernandes Ceschini foi morta pelo marido após uma discussão envolvendo futebol; polícia investiga furto de carro, joias e TVs

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 9 fev 2021, 17h54 - Publicado em 9 fev 2021, 17h44

A família de Érica Fernandes Ceschini fez um Boletim de Ocorrência (BO) de furto contra Alexandre Estevam Ceschini, pai de Leonardo Souza Ceschini, acusado de matar a esposa a facadas após uma discussão sobre o título da última Copa Libertadores da América, em que o Palmeiras foi campeão. Érica era palmeirense e Alexandre, corintiano.

De acordo com a família da vítima, Alexandre é o principal suspeito de levar o carro dela, duas TVs, um micro-ondas, eletroeletrônicos e joias que estavam dentro do apartamento onde o casal morava com os filhos gêmeos de 2 anos.

O crime aconteceu no dia 31 de janeiro e o furto foi cometido enquanto o corpo de Érica era velado e sepultado no dia 1º de fevereiro. Segundo a polícia, o celular da vítima e documentos das crianças foram furtados por uma mulher que seria advogada da família de Leonardo.

Por causa do ferimento na barriga, Leonardo segue internado em um hospital sob escolta policial. A Policia Civil investiga o roubo, mas ainda não se sabe o porquê de os objetos terem sido levados.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade