Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Regina Duarte defende “Dia da Consciência Branca” e é criticada nas redes

Atriz compartilhou vídeo de 2005 em que Morgan Freeman defende ideia, mas ator já demonstrou ter mudado seu posicionamento

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 22 nov 2021, 12h20 - Publicado em 22 nov 2021, 11h23

No domingo (21), um dia após o Dia da Consciência Negra, a atriz e ex-secretária especial da Cultura Regina Duarte causou polêmica nas redes ao questionar, em seu Instagram, “quando teremos o Dia da Consciência Branca, Amarela, Parda…?”.

View this post on Instagram

A post shared by Regina (@reginaduarte)

A legenda acompanha um vídeo famoso na internet do ator Morgan Freeman dizendo, em entrevista ao programa “60 Minutes”, que a existência de um mês da história negra é “ridícula” e que a maneira de acabar com o racismo é “parando da falar sobre isso”. A entrevista é de 2005 e o próprio ator já demonstrou ter mudado de opinião.

Ao invés de “não falar sobre isso”, o ator, a partir do assassinato de George Floyd, passou a usar seu Instagram como plataforma de ativismo contra o racismo. Em post no Instagram em junho de 2020, o ator se posicionou e usou sua conta na rede social para compartilhar histórias de pessoas negras. “Nunca se é velho demais para ter uma revelação”, publicou Morgan Freeman em um desses posts.

View this post on Instagram

A post shared by Morgan Freeman (@morganfreeman)

Continua após a publicidade

Nas redes, diversas personalidades criticaram a fala de Regina. Em vídeo, a empreendedora Luana Genot explica que o “Dia da Consciência Branca é todo dia” e relembra “o quanto a branquitude é central em nossas referências”.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Continua após a publicidade

Publicidade