Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quem é a “gatinha da Cracolândia”, jovem de 19 presa acusada de tráfico

Lorraine Romeiro aparentava ser uma garota comum de classe média, mas levava vida escusa; irmão disse que família não irá 'passar a mão na cabeça dela'

Por Redação VEJA São Paulo 23 jul 2021, 17h27

Lorraine Cutier Bauer Romeiro, de 19 anos, conhecida como “Gatinha da Cracolândia”, foi presa por tráfico de drogas nesta quinta-feira (22). Segundo o delegado da Seccional do Centro de São Paulo, Roberto Monteiro, responsável pelo caso, a jovem levava uma vida de luxo sustentada pelo tráfico e era uma das lideranças na região. Nas redes sociais, ela aparentava levar uma rotina normal para uma garota de classe média paulistana.

Lorraine estava sendo investigada por agentes do 77º Distrito Policial, de Santa Cecília, que realizam diligências para combater o comércio ilegal de drogas na Cracolândia. Nesta quinta, ela foi presa em flagrante, indiciada e levada à carceragem do 89º DP (Jardim Taboão), onde permaneceu à disposição da Justiça. Segundo a polícia, ela admitiu, em depoimento, o envolvimento no tráfico.

Em relatórios da investigação, ela aparece comercializando crack dentro de tendas no “fluxo” de usuários de drogas da região. A “gatinha da Cracolândia” já havia sido detida com drogas no fim de junho, mas cumpriu a pena em prisão domiciliar por ser ré primária e mãe, tendo permissão para sair de casa apenas para consultas médicas.

Segundo nota da Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), a mulher foi detida em sua casa, em um condomínio fechado na cidade de Barueri, na Grande São Paulo, e no local foram encontrados mais de 400 porções de crack, cocaína, maconha e ecstasy, além de quase 100 frascos de lança-perfume.

Ainda segundo a SSP, Lorraine também mostrou aos investigadores onde ela escondia mais drogas, em um prédio na Rua Helvétia, no bairro de Santa Cecília, e foram encontrados mais 85 porções de maconha, 295 de cocaína e oito de crack, 97 frascos de lança-perfume, 16 comprimidos de ecstasy. Também foram apreendidos R$ 750 em dinheiro, uma balança de precisão, uma faca, um machado e um celular. Todos os itens foram levados para o Instituto de Criminalística (IC) para perícia.

Quem é a “Gatinha da Cracolândia”

Lorraine Cutier Bauer Romeiro tem 19 anos e é mãe há 10 meses. Ela mora em Barueri e desde o começo deste ano estava matriculada na faculdade de Direito de uma universidade privada paulistana.

Ela acumulava pouco mais de 30 mil seguidores nas redes sociais, onde aparentava ser uma jovem que levava vida comum. Desde outubro de 2020, quando se tornou mãe, passou a postar vídeos nas redes sociais sobre os desafios da maternidade.

Continua após a publicidade

Segundo informações do programa Brasil Urgente, da Band, ela ingressou no crime através do namorado, o também traficante André Luiz dos Santos Almeida, que está preso pelo mesmo crime cometido por Lorraine.

De acordo com o Blog do Datena, a jovem teria se aproximado de André após a perda do pai em 2014, o empresário Ricardo Cutier Bauer Romeiro, que atuava no ramo imobiliário em Alphaville, área nobre de São Paulo. Ele foi morto com um tiro na cabeça durante latrocínio. Desde então, familiares e conhecidos a definem como uma “adolescente problemática”.

O irmão da jovem publicou vídeos nesta sexta-feira (23) em que fala sobre o caso. Ele diz que a irmã “se envolveu com pessoas erradas” e que “a família não vai passar a mão na cabeça” dela.

“Passando para agradecer os amigos e familiares que estão junto da gente e também para dizer que o pessoalzinho que está fazendo chacota, brincadeira, mano, pode fazer. Eu desejo tudo em dobro para você. A vida está aí para mostrar que o que você faz, você paga, do mesmo jeito que ela está pagando, você que deseja o mal e fica feliz com a queda dos outros também vai pagar”, afirmou.

“Infelizmente ela se envolveu com pessoas erradas. Ela sempre teve uma vida boa, uma família boa, que apoiou, deu conselho, mas ela se envolveu com pessoas erradas nesses últimos tempos e acabou tomando escolhas erradas. Agora ela vai pagar pelo que ela fez. A família de maneira alguma vai passar a mão na cabeça dela.”

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

 

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade