Clique e assine por apenas 6,90/mês

Após morte da avó, primo de Michelle Bolsonaro expõe conversa em que ela o xinga

Eduardo D'Castro afirma que primeira-dama não ajudou a idosa; assessoria da Presidência se pronunciou

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 13 ago 2020, 08h19 - Publicado em 12 ago 2020, 23h52

A avó de Michelle Bolsonaro, Maria Aparecida Firmo Ferreira, morreu na quarta-feira (12) vítima do novo coronavírus. Horas depois, um primo da primeira-dama, Eduardo D’Castro, publicou mensagens pelo Instagram em que afirma que Michelle não teria prestado ajuda à idosa. A briga familiar foi revelada pelo colunista Léo Dias. 

“Obrigado por você não ter feito absolutamente nada por nossa avó. Tanto poder, tanta influência e por vergonha, sim, vergonha, não ajudou seu próprio sangue. Você ajuda tantas pessoas, participa de tantos projetos pra ajudar os outros e sua própria família, você vira as costas. Triste ver quem você se tornou. Não reconhecemos mais você”, escreveu ele.

Horas depois, Eduardo publicou um print com uma mensagem atribuída à primeira-dama.

“Vou te processar por essa postagem. Acho melhor você rever sua postura em relação a essa postagem. Deixa de ser cretino. Você não é o rico da internet? Cuidado com as suas postagens, seu moleque. Você nem gostava da vó. Seu falso. Seu merda. Cuidado!”.

Reprodução/Veja SP

Presidência respondeu

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da presidência da República lamentou que “parentes tratem certos momentos tão pessoas com oportunismo”.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro recebeu com pesar a notícia sobre o falecimento da avó. Ela sente e afirma que é um momento de tristeza e dor para toda a família.

A senhora Michelle Bolsonaro lamenta que alguns parentes tratem certos momentos tão pessoais com oportunismo em desrespeito ao sofrimento de todos.

Continua após a publicidade
Publicidade