Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Preso segundo suspeito de envolvimento na morte de Moacir Bianchi

Rafael Martins da Silva, de 29 anos, é apontado como motorista do carro usado na emboscada que matou um dos fundados da Mancha Verde

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 29 ago 2017, 21h47 - Publicado em 29 ago 2017, 21h42

A Polícia Civil prendeu nesta terça (29) um dos suspeitos do assassinato de Moacir Bianchi, líder e um dos fundadores da torcida Mancha Verde. Rafael Martins da Silva, de 29 anos, é apontado como motorista do carro usado na emboscada.

  • Conhecido como Zequinha, ele foi preso em Itanhaém, no litoral, após denúncias de que ele estava se escondendo em uma casa na região e encaminhado para o DHPP, na região central de São Paulo. Ele negou participação no crime em entrevista ao G1.

    Bianchi foi morto em março deste ano na Avenida Presidente Wilson no Ipiranga, na Zona Sul. O corpo foi encontrado dentro de um carro parado com 22 marcas de tiros, segundo registro do boletim de ocorrência. A principal linha de investigação aponta que o crime foi cometido por disputas internas pelo comando da torcida. 

    Em julho, os policiais prenderam Marcelo Ventola, mais conhecido como Marcelinho. Segundo as investigações, foi ele o autor dos disparos contra o dirigente na ocasião. A identidade do condutor do táxi que bloqueou a passagem do veículo da vítima segue desconhecida. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade