Clique e assine por apenas 6,90/mês

A largada do ‘prefeito-gari’: veja as primeiras ações de Doria

Medidas incluem mutirões de limpeza e plantão de verão para minimizar efeitos das chuvas

Por Mariana Zylberkan - 6 Jan 2017, 16h48

Todo fim de semana, pelos próximos quatro anos, o script deve ser o mesmo: secretários e prefeitos regionais participarão de um mutirão de limpeza na capital. Como se fosse uma escola de samba da zeladoria urbana, várias equipes desfilarão juntas por determinada avenida e executarão serviços simultâneos, como a varrição e a limpeza de bueiros, entre outras melhorias. Na primeira ação, ocorrida no último dia 2 na Avenida Nove de Julho, 1 291 pessoas estiveram envolvidas, com direito a João Doria e sua equipe vestidos de gari. Mesmo trajando a típica roupa verde com detalhes amarelo-fluorescentes, o prefeito manteve seu estilo “arrumadinho” e foi calçado com um par de sapatênis da badalada grife Osklen. De vassoura nas mãos, ele posou para fotos e, assim como seus companheiros de gestão, teve pouco o que limpar.

Um dia antes, dezenas de caminhões e funcionários da prefeitura haviam se espalhado pela via para antecipar a realização de serviços como o tapamento de buracos, a poda de árvores e limpeza geral. A mobilização foi devidamente sinalizada com letreiros luminosos em que se lia “Operação Cidade Linda”, ao lado do desenho de um coração.

Por estrear menos de 24 horas após a posse do tucano, a primeira edição foi realizada em um dia útil, o que será uma exceção à regra de reservar os fins de semana para a faxina geral. Ainda está em discussão a continuidade do início das atividades antes de o sol raiar e a obrigatoriedade do uso do uniforme. Nos bastidores, alguns secretários torceram o nariz à iniciativa midiática do chefe e esperam não ter de repetir a dose. Doria prometeu dar um “tapa” em uma via por semana até o fim do mandato. Neste sábado (7) e no domingo (8), será a vez da Avenida Paulista (veja quadro abaixo).

A faxina nas vias foi calculada para provocar estardalhaço e marcar uma posição política. Na campanha municipal, o novo prefeito criticou o antecessor, Fernando Haddad, afirmando que sua gestão cometeu falhas na zeladoria da metrópole. A inspiração para o projeto vem de Mário Covas. Quando comandava a prefeitura, ele apadrinhou Doria, presenteando-lhe com seu primeiro cargo público, o de secretário municipal de Turismo, em 1983.

Continua após a publicidade
Doria posa dentro de máquina de limpar calçadas: início do projeto Cidade Linda (Foto: João Batista Jr.)
Doria posa dentro de máquina de limpar calçadas: início do projeto Cidade Linda (Foto: João Batista Jr.) João Batista Jr./Veja SP

A referência a Covas se repete em outra iniciativa, que reunirá novamente Doria e seus secretários, bem como moradores, para revitalizar calçadas. A ação começa neste domingo, 8, em frente a uma escola municipal no Itaim Paulista, na Zona Leste, o mesmo lugar onde o ex-governador deu largada a projeto semelhante enquanto prefeito da capital, nos anos 80. A Ponte Estaiada também está recebendo uma limpeza e nove homens devem apagar as pichações do local até quarta (11).

Os mutirões são um indicativo do protagonismo que as 32 prefeituras regionais terão na atual gestão, capitaneadas por Bruno Covas. Estão previstas reuniões periódicas entre os líderes de cada distrito e representantes das secretarias. A intenção é homogeneizar a administração da cidade para otimizar serviços como a manutenção dos espaços públicos. Por causa disso, o orçamento municipal para 2017, aprovado em dezembro pela Câmara, destina 1,34 bilhão de reais às regionais, acréscimo de 15% em relação ao ano anterior.

Como qualquer novo prefeito, Doria vai iniciar o mandato no auge do período de chuvas de verão, quando a alta precipitação se torna um opositor implacável. Evitar cenas de alagamento no primeiro mês de governo é outra de suas preocupações. Segundo as previsões dos meteorologistas, o verão de 2017 será mais chuvoso que o do ano passado.

Pela primeira vez em quatro anos, a prefeitura e o governo estão do mesmo lado político, o que viabilizou a junção de estruturas das duas esferas. O ex-comandante do Corpo de Bombeiros, Marco Aurélio Alves Pinto, foi escolhido para chefiar a Defesa Civil municipal, subordinada ao ex-coordenador da Defesa Civil estadual, José Roberto de Oliveira, o novo secretário de Segurança Urbana. “O foco serão as ações preventivas”, diz Pinto. Na prática, a nova gestão ampliará o número de órgãos que se reúnem no Centro Integrado de Comando e Controle Regional, na Luz, em esquema de plantão durante todo o verão para monitorar as chuvas.

Continua após a publicidade

Diferentemente de anos anteriores, participam representantes de equipamentos estaduais, como o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee). “Em vez de resolver por telefone, vão estar todos na mesma sala, o que dá mais agilidade”, diz o secretário Oliveira.

A rota do Cidade Linda

A programação privilegiará grandes avenidas

Janeiro
7 e 8: Paulista
14 e 15: 23 de Maio
21 e 22: Santo Amaro
28 e 29: Tiradentes

Fevereiro
4 e 5: Mateo Bei (São Mateus)
11 e 12: Ipiranga e São Luís
18 e 19: Praça da Sé
25 e 26: Cruzeiro do Sul

Publicidade