Clique e assine por apenas 6,90/mês

Pintor escala os dezoito netos para enfeitar praça para a Copa

Nelson Tavares coloriu as guias, os bancos e troncos de árvore no Rio Pequeno para torcer para a seleção brasileira

Por Camila Pusiol - Atualizado em 14 Feb 2020, 16h01 - Publicado em 15 Jun 2018, 06h00

Nas ruas, a empolgação do paulistano para curtir a Copa do Mundo está, ainda, tímida. Se em 2014, quando os jogos rolaram por aqui, era comum ver bandeirinhas, muros e asfaltos pintados de verde e amarelo, neste ano poucos espaços estão decorados para estimular a torcida para a seleção na Rússia. Um deles é a Praça Júlio de Melo Ferreira, localizada no Rio Pequeno, na região do Butantã. Por conta própria, o pintor autônomo aposentado Nelson Tavares, de 60 anos, decidiu dar um charme à área.

As guias, os bancos e troncos de árvore da praça foram pintados, num investimento calculado por ele em 1 000 reais. “Se você passar por aqui todos os dias, vai me ver capinando o mato, retirando folhas e catando o lixo, tudo com meu próprio equipamento”, conta Tavares. O tapa no visual da área, frequentada por moradores locais e estudantes da Cidade Universitária, perto dali, começou a ser dado em maio. Para conseguir deixar tudo pronto até a estreia do Brasil contra a Suíça, marcada para este domingo, 17, Tavares, pai de onze filhos, não entrou sozinho em campo.

A praça no Rio Pequeno: preparada para a Copa Alexandre Battibugli/Veja SP

Ele escalou dezoito de seus dezenove netos para pegar no pincel. Só o menorzinho, de 8 meses, ficou no banco de reservas. “Tenho esperança de que durante a Copa os brasileiros voltem a gostar de futebol. Estou fazendo minha parte pra isso.” Procurada, a prefeitura regional do Butantã está longe de vibrar com a iniciativa de Tavares. “Não se recomenda, em nenhuma circunstância, a pintura das árvores. A regional entrará em contato com o munícipe para orientá-lo”, afirmou em nota.

Publicidade