Clique e assine por apenas 6,90/mês

Por que Flavio Bolsonaro não diz em quem votou para presidência do Senado

Parlamentar escreveu no Twitter que não revelou voto para não "gerar especulações"

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 2 fev 2019, 17h38 - Publicado em 2 fev 2019, 16h46

Filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flavio Bolsonaro escreveu neste sábado (2) no Twitter que não quis revelar em quem votou para a presidência da Casa “para evitar especulações”.

“Optei por não abrir meu voto, para evitar especulações com intuito de prejudicar o governo. Que o eleito, independentemente de quem for, apoie as pautas que o Brasil necessita”, disse o parlamentar.

Continua após a publicidade

Depois de um tumulto na sessão de sexta-feira, os senadores tiveram de remarcar para este sábado a votação para a escolha do próximo presidente do Senado.

Parlamentares tinham decidido que a votação seria aberta. Mas por força de uma decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, a eleição foi por meio de votação secreta. Mesmo assim, alguns senadores revelaram seus votos na tribuna, ou pelas redes sociais. Não foi o caso de Flavio Bolsonaro.

Os senadores foram obrigados a realizar uma nova votação depois de problemas na contagem dos votos na primeira rodada. A urna tinha 82 votos, sendo que a Casa é composta por 81 parlamentares. Na segunda rodada da votação, no entanto, Flavio Bolsonaro revelou seu voto. Mostrou a cédula e declarou voto ao senador Davi Acolumbre (DEM-AP). O filho do presidente se declarou pelo Twitter em seguida:

Continua após a publicidade
Publicidade