Clique e assine com até 89% de desconto

Policial é indiciado pela morte de adolescente na Zona Sul

Guilherme Silva foi executado após ser confundido como autor de roubo de galpão no bairro Americanópolis

Por Redação VEJA São Paulo 9 jul 2020, 19h38

A Polícia Militar de São Paulo indiciou o sargento Adriano Fernandes pela morte de Guilherme Silva Guedes, 15. O adolescente foi assassinado com tiros na cabeça no dia 15 de junho, após ser confundido como autor do roubo de um galpão na Zona Sul, que tinha como segurança Adriano. As informações são do R7.

De acordo com o site, Fernandes foi indiciado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima. A polícia tenta encontrar também outro suspeito de participar do crime, o policial Gilberto Eric Rodrigues.

A PM afirma que os dois atuavam como uma milícia no bairro de Americanópolis, onde Guilherme foi morto. “Quer dizer, ele quis dar uma recado para a região que quem entrasse no seu domínio ia ser morto, executado, independente de quem seja”, disse o diretor do Departamento de Homicídios, Fábio Pinheiro.

Relembre o caso

No dia 14 de junho, Guilherme estava na frente da casa da avó no início da madrugada quando despareceu. Imagens de câmeras de segurança, no entanto, gravaram os suspeitos. O jovem foi encontrado horas depois em Diadema, no Grande ABC, com dois tiros na cabeça e marcas de agressão espalhadas pelo corpo. Adriano estaria fazendo a segurança de um canteiro de obras da Sabesp, que fica ao lado da casa do jovem.

Segundo as investigações, um galpão da região foi roubado no mesmo dia. O vigia que estava no galpão chegou a ligar para a polícia, mas desistiu de denunciar após Adriano ter prometido que resolveria por conta própria. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade