Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Polícia prende motorista de aplicativo suspeito de estuprar mulher

Caso ocorreu no dia 25 de fevereiro e veio à tona no último final de semana

Por Redação VEJA São Paulo 3 mar 2020, 16h38

A Polícia Civil deteve na manhã desta terça-feira (3) o motorista de aplicativo que é suspeito de estuprar uma jovem de 20 anos no dia 25 de fevereiro. O crime teria ocorrido após ela pedir uma viagem pelo serviço 99 Táxi, de Pinheiros para sua casa na Mooca. O trajeto, que duraria cerca de 20 minutos, levou 5 horas.

O homem de 47 anos foi indiciado por estupro de vulnerável, segundo informações do Agora São Paulo. Ele nega as acusações. O mandato de prisão temporária foi expedido nesta terça. O aplicativo 99 afirmou que expulsou o motorista da plataforma assim que soube do caso.

Relembre

A jovem, em depoimento para a polícia, afirmou que estava bebendo em um bar com amigos na região de Pinheiros, quando pediu o carro pelo aplicativo 99. Por conta de excesso de álcool, afirma que não se lembra da viagem. O registro na plataforma indica que o trajeto durou cerca de 5 horas.

Ela relata que acordou no outro dia sentindo dores na região genital, procurou um hospital para a realização de exames que comprovem o estupro e começou a tomar remédios contra doenças sexualmente transmissíveis.

O homem alegou que teria sido seduzido pela jovem, e negou a acusação de estupro. A Polícia Civil afirma que obteve imagens de uma câmera de segurança, de local não divulgado, que mostram o homem saindo do volante e entrando na parte traseira do veículo, ficando ali por cerca de 40 minutos. Segundo a investigação, esse teria sido o momento do abuso.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade