Clique e assine por apenas 6,90/mês

Polícia Civil conclui caso de menino morto há dois anos no Habib’s

Os funcionários da lanchonete suspeitos de bater em João Victor não foram indiciados

Por Redação VEJA São Paulo - 10 mar 2019, 14h16

A Polícia Civil concluiu o caso do menino morto há dois anos em frente a uma unidade da lanchonete Habib’s, na Zona Norte de São Paulo. Como a causa do óbito de João Victor Souza de Carvalho, de treze anos, foi em decorrência de um infarto, não houve responsabilização de terceiros nesta etapa do processo. Porém, a pedido do Ministério Público, a Justiça paulista determinou que a delegacia responsável pela investigação produza novas provas.

Segundo o portal de notícias G1, o delegado Nicola Romanini, do 28º Distrito Policial, informa que laudos da Polícia Técnico-Científica concluíram a causa da morte sendo em decorrência do uso contínuo de droga. Não há quaisquer menções das agressões que ocorreram contra o garoto.

Mas como no mesmo relatório há informação de que duas testemunhas, uma vendedora de balas e o motorista de um ônibus, disseram ter visto dois funcionários  Habib’s darem socos na nuca do adolescente, o Ministério Público pediu mais dados à polícia para saber se essas agressões contribuíram para a morte dele.

 

Continua após a publicidade
Publicidade