Continua após publicidade

PM pede para motoboys reagendarem ato em favor de Lula na capital

Justificativa é a de haver necessidade de programação de efetivo; sindicato diz que ato está mantido

Por Clayton Freitas
Atualizado em 28 out 2022, 13h29 - Publicado em 28 out 2022, 13h25

A Polícia Militar encaminhou um ofício para o sindicato dos motoboys (SindimotoSP) pedindo para que eles reagendem um ato marcado para este sábado (29) em favor de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disputa o segundo turno das eleições presidenciais com o presidente Jair Bolsonaro (PL). Os motoboys dizem que manterão o ato, que também marcará a entrega de propostas para melhoria das condições de trabalho da categoria.

+Em São Paulo, 184 empresas já foram denunciadas por assédio eleitoral

Há alguns dias eles divulgaram entre si uma convocação conjunta para que motoboys e entregadores façam um ato a favor de Lula com suas motos, em geral de 150 cilindradas, em um claro contraponto às motociatas de Bolsonaro, em que predominam motos de alta cilindrada e caras. “Tentei falar antes com todos e ninguém quis nos receber”, disse à Vejinha Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, presidente do SindimotoSP.

Post que está circulando nas redes sociais de motoboys e entregadores convoca para ato a favor de Lula
Post que está circulando nas redes sociais de motoboys e entregadores convoca para ato a favor de Lula (Reprodução/Reprodução)

Ele afirmou que tentou se reunir com representantes da SSP (Secretaria de Segurança Pública) e PM (Polícia Militar). Sem sucesso, encaminhou nesta quinta-feira (27) comunicados para João Camilo Pires de Campos, secretário estadual de Segurança Pública e coronel Alexandre César Prates, do CPTran (Comando de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar do Estado de São Paulo).

+Projeto de Rodrigo devolve passe livre para 4,86% das pessoas de 60 anos a 65 anos

A resposta veio por e-mail encaminhado pelo coronel Robinson Cabral de Oliveira, coordenador operacional da PM. No texto, ao qual a reportagem teve acesso, Oliveira que o segundo turno das eleições, no domingo (30), demandará “grande empenho das forças policiais”. Segundo o oficial, a demanda dos motoboys “gera uma necessidade de programação para emprego de efetivo e meios necessários para prover segurança a todos os participantes, o que torna inviável nesse momento”. Ante a isso, “não recomenda a realização dessa manifestação, propondo um reagendamento em momento oportuno.”

Continua após a publicidade

Mesmo assim, Gil afirma que o ato está mantido. A ideia dos motoboys é se reunirem às 12h na sede do sindicato, no Brooklin (zona sul da capital), e, às 14h, rumarem com destino a avenida Paulista, na região central da capital. Segundo o líder sindical, ao menos 500 motoboys já confirmaram presença. “Vamos fazer com a quantidade que aparecer. Abrimos para todos que quiserem participar”, diz.

+O que esperar do novo governador depois de 28 anos de gestão tucana

Questionado sobre o fato de que parte da categoria é bolsonarista, Gil afirmou que um em cada quadro se identifica com o atual presidente. “Jornalista, sindicalista e pobre tem a obrigação de votar no Lula”, disse.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.